Darfur Now (Sudão)

Theodore Braun

África - Ciclo de Documentários

Quinta-feira, 1 de Abril, 22h

Gato Vadio

Entrada Livre





Sinopse:

Ted Braun examina o genocídio no Darfur através do olhar de seis pessoas que, com objectivos e de formas distintas, tentam ultrapassar o grave conflito social.

Ahmed Mohammed Abakar foi forçado a fugir da sua aldeia e é agora o líder de um acampamento de refugiados no Hamadea, onde cerca de 50.000 pessoas deslocadas encontraram refúgio... Hejewa Adam pegou em as armas na sua terra natal, juntando-se a um grupo de rebeldes, para defender as populações à mercê dos ataques da milícia Janjaweed e das forças governamentais… O equatoriano Pablo Recalde é o chefe do Programa Mundial de Alimentos no Oeste de Darfur, tentando conseguir comida para os doentes e para as pessoas que passam fome na região… Luis Moreno-Ocampo é um Argentino que está no Darfur na qualidade de procurador do Tribunal Penal Internacional de Haia, investigando as implicações de líderes sudaneses em crimes de guerra…

Testemunhos que nos vão dando uma descrição da catástrofe humana vivida na região do Darfur.

Darfur Now

99 min.

2007






("clicar" para ver ciclo completo)

Un poquito de tanta verdad

Oaxaca/México

Documentário, 2006

Sábado, 27 de Março, 22h15


"Grain of sand" tem a faculdade de suscitar a discussão sobre o que representa a educação dominante na sociedade neoliberal.

No verão de 2006 um levantamento popular maciço generalizou-se no estado de Oaxaca, no sul do México. Alguns compararam-no à Comuna de Paris. Tudo começou quando alunos, pais e professores começaram a fazer passeatas no centro da cidade para manifestar o seu descontentamento contra a privatização das escolas técnicas, uma exigência do Banco Mundial e do FMI. O Governo, sem mostrar vontade de dialogar, mandou encerrar as escolas de imediato. Quando os professores e os alunos decidem protestar, ocupando as escolas, foram presos e torturados em prisões de alta segurança. Mais de uma centena de professores foram mortos ou dados como desaparecidos. Não obstante a repressão, a população uniu-se à luta de pais, alunos e professores, organizando-se sob novas formas de organização social, novas formas de tomadas de decisão, experimentando a essência da democracia e negando a oligarquia do sistema democrático bem como o poder discricionário e autoritário das instituições estatais.




Mais de 350 organizações populares juntaram-se e criaram a APPO (Assembleia Popular dos Povos de Oaxaca). A luta da população de Oaxaca teve o apoio público do filósofo e activista político Noam Chomsky e do escritor Eduardo Galeano.


Ao longo de um ano de protestos, dezenas de milhares de professores, donas de casa, comunidades indígenas, trabalhadores da função pública, camponeses e estudantes apoderaram-se de 14 emissoras de rádio e de uma emissora de televisão, utilizando-as para organizar, movimentar e finalmente defender justiça social, económica e cultural.

Depois do documentário, haverá debate de ideias!





Voltamos ao ciclo de Documentários sobre África!


A Gato Vadio presta homenagem aos vários movimentos ambientalistas que actualmente pelo país fora plantam árvores contribuindo para a necessária revolução verde.


Taking root – the vision of Wangari Maathai (Quénia)

de Lísa Merton e Alan Dater

África – Ciclo de Documentários

Quinta-feira, 25 de Março, 22h

Gato Vadio

Entrada Livre



Revolução Verde no Quénia

Taking Root retrata a vida da activista política e ambiental queniana Wangari Maathai cuja simples vontade de plantar árvores se enraizou e expandiu num movimento nacional de luta ambiental, protecção dos direitos humanos, emancipação do papel das mulheres e que contribuiu para a queda do regime ditatorial queniano.






O movimento Green Belt (ver: the Green Belt Movement, ), que Maathai fundou, é um belo exemplo e uma lição vinda de África de como plantar árvores pode significar um processo de democratização do uso da terra e de sustentabilidade ecológica e económica, ao garantir simultaneamente a subsistência e a dignidade das populações rurais, melhorando o seu nível de vida, e não só preservando a floresta mas fazendo crescer a área verde do país. Além da onda verde, de melhorar a qualidade de vida e de ter favorecido a emancipação da mulher, o movimento verde gerou um processo de democratização social, decisivo para a queda da longa ditadura de 24 anos no Quénia. Wangari Maathai recebeu o prémio Nobel da Paz em 2004.

Taking root – the vision of Wangari Maathai (Quénia)

de Lísa Merton e Alan Dater

81 min

2008




(programa completo)