Quantas vidas tem um Gato?

Os menos distraídos podem ter reparado que depois de tanto escarcéu afinal o Gato Vadio não bateu com a porta. Longas reuniões e assembleias, com direito a algumas bufadelas e arranhadelas, a gataria não descansou.... Afinal existiam pessoas associadas inconformadas com as notícias do fecho que se uniram pela vontade de manter o Gato. Vai-se a ver e o incumprimento dos prazos legais de aviso de não-renovação do contrato permitiu ficar tal e qual.... e há a esperança que se mantenha até dezembro de 2019.

A solução?
Não é mais do que o processo já em curso: 12 vadios, novos e velhos, chegaram-se à frente para garantir a maioria das tarefas e turnos necessários à abertura do Gato nos próximos meses. Velha guarda e sangue novo – uns mais cépticos, outros mesmo cáusticos – a experimentar outras formas de cuidar da associação mantendo a sua natureza vadia.

Vão ter de nos continuar a aturar por cá! E depois logo se vê.

O Gato Vadio está vivinho da silva e recomenda-se – já perdemos a conta às vidas que passaram.
Por isso aparece, maldiz, propõe, ronrona, associa-te.... faz-te Vadio! - Saco de Gatos
...

Un poquito de tanta verdad

Oaxaca/México

Documentário, 2006

Sábado, 27 de Março, 22h15


"Grain of sand" tem a faculdade de suscitar a discussão sobre o que representa a educação dominante na sociedade neoliberal.

No verão de 2006 um levantamento popular maciço generalizou-se no estado de Oaxaca, no sul do México. Alguns compararam-no à Comuna de Paris. Tudo começou quando alunos, pais e professores começaram a fazer passeatas no centro da cidade para manifestar o seu descontentamento contra a privatização das escolas técnicas, uma exigência do Banco Mundial e do FMI. O Governo, sem mostrar vontade de dialogar, mandou encerrar as escolas de imediato. Quando os professores e os alunos decidem protestar, ocupando as escolas, foram presos e torturados em prisões de alta segurança. Mais de uma centena de professores foram mortos ou dados como desaparecidos. Não obstante a repressão, a população uniu-se à luta de pais, alunos e professores, organizando-se sob novas formas de organização social, novas formas de tomadas de decisão, experimentando a essência da democracia e negando a oligarquia do sistema democrático bem como o poder discricionário e autoritário das instituições estatais.




Mais de 350 organizações populares juntaram-se e criaram a APPO (Assembleia Popular dos Povos de Oaxaca). A luta da população de Oaxaca teve o apoio público do filósofo e activista político Noam Chomsky e do escritor Eduardo Galeano.


Ao longo de um ano de protestos, dezenas de milhares de professores, donas de casa, comunidades indígenas, trabalhadores da função pública, camponeses e estudantes apoderaram-se de 14 emissoras de rádio e de uma emissora de televisão, utilizando-as para organizar, movimentar e finalmente defender justiça social, económica e cultural.

Depois do documentário, haverá debate de ideias!


Comentários