17 a 20 de Maio | ColagensDeSonhos | MemóriasDeCriança | FlautaDeLuz

 De 20 de Abril a 31 de Maio 
 Parede Vermelha da livraria habitada com
 Colagens de sonhos 
exposição de Aleksandra Fluda 
["Colagens de sonhos" é o um projecto de colagem que iniciei e estou a desenvolver desde Fevereiro de 2017. Criei este projecto porque adoro construir e desenvolver histórias enquanto trabalho sobre a tela. Fui inspirada por sonhos, música, cores e as coisas simples do quotidiano que inspiram a minha mente. Fazer estes trabalhos é uma forma de viajar no tempo, entre sítios e histórias. (...)]

Nas quintas de Maio, Gato Vadio apresenta... 
MemóriasDeCriança
,
sempre pelas 21:30h, sempre com entrada livre!
 Quinta 17 de Maio, 21:30h 
A Sombra do Caçador 
(1955)​ The Night of the Hunter 1h32min 
Director: Charles Laughton
​​Um fanático religioso casa-se com uma viúva ingénua cujos filhos pequenos se recusam a dizer onde o pai escondeu os 10.000 dólares roubados num assalto.
 Sexta 18 de Maio 
 Sábado 19 de Maio 


Ele há xadrez, damas ou póker...
Ele há chás ou licores e bolachas...
Ele há livros, revistas ou conversas...

 Domingo 20 de Maio, 18:00h  
Ao 3º domingo de cada mês,
VJMutante apresenta selecção de
Video Clips e Curtas de Animação

Na Livraria...

  Flauta de Luz – N.º 5  

Edição e coordenação Júlio Henriques
 
Design gráfico Gonçalo Mota
Desenho de capa Miguel Carneiro

Artigos de Agustín García Calvo | Ailton Krenak | Álvaro Fonseca | Ana Cardoso Pires
 Ana Marques | Ana Tomás | Anselm Jappe | António Cândido Franco
 Daniel Munduruku | David Watson | Debra Harris | Dilar Dirik
 Eduardo Viveiros de Castro | Fernando Gonçalves | Eliane Potiguara
 Emanuel Cameira | Felipe Milanez | Georges Lapierre | Grupo Oblomoff
 Henry David Thoreau | Jesús Sepúlveda | Joëlle Ghazarian | Jorge Leandro Rosa
Júlio Henriques | Macedonio Fernández | Maria de Magalhães Ramalho
Paulo Barreiros | Paulo Ramalho | Pedro Fidalgo
Pedro Garcia Olivo | Phil Mailer | Quim Sirera

Questão prévia: a Técnica não é neutra.
Ela é mesmo a mais forte dimensão do poder no mundo actual, poder que congrega, totalmente imbricados, o Estado e as corporações empresariais. O desenvolvimento das novas tecnologias é um eufemístico heterónimo do capitalismo. E o presente fascínio com estas coisas é a forma contemporânea de uma interiorização mais densa e problemática das relações mercantilistas. Este número procura contribuir para tornar mais compreensível a relação profundamente contraditória entre o desenvolvimento demencial da tecnociência e a resistência inquebrantável dos povos indígenas aos ditames da cultura dominante, resistência esta cujas ramificações têm tudo a ver com a nossa própria condição de matéria-prima humana.

Os trabalhos de colaboradores portugueses e internacionais detêm-se em diversos aspectos deste relacionamento discrepante, de que estão a surgir, em variados pontos do mundo, novas expressões da luta contra a domesticação dos indivíduos.
De realçar, neste número, uma maior participação de colaboradores brasileiros, em texto e imagem, bem como de autores do Quebeque.

Os trabalhos publicados incluem ensaio, literatura e poesia, e a revista atribui muita importância à fotografia, ao desenho e à pintura.

Sem comentários:

Enviar um comentário