Quantas vidas tem um Gato?

Os menos distraídos podem ter reparado que depois de tanto escarcéu afinal o Gato Vadio não bateu com a porta. Longas reuniões e assembleias, com direito a algumas bufadelas e arranhadelas, a gataria não descansou.... Afinal existiam pessoas associadas inconformadas com as notícias do fecho que se uniram pela vontade de manter o Gato. Vai-se a ver e o incumprimento dos prazos legais de aviso de não-renovação do contrato permitiu ficar tal e qual.... e há a esperança que se mantenha até dezembro de 2019.

A solução?
Não é mais do que o processo já em curso: 12 vadios, novos e velhos, chegaram-se à frente para garantir a maioria das tarefas e turnos necessários à abertura do Gato nos próximos meses. Velha guarda e sangue novo – uns mais cépticos, outros mesmo cáusticos – a experimentar outras formas de cuidar da associação mantendo a sua natureza vadia.

Vão ter de nos continuar a aturar por cá! E depois logo se vê.

O Gato Vadio está vivinho da silva e recomenda-se – já perdemos a conta às vidas que passaram.
Por isso aparece, maldiz, propõe, ronrona, associa-te.... faz-te Vadio! - Saco de Gatos
...

04 a 07 de Julho | PipiDasMeiasAltas| ChapasArtísticoMutáveis | RochaVariaçõesPrecárias | AVidaDasPlanta

 Gato Vadio 
Aberto de quinta a domingo
Open from thursday to sunday
17h - 24h 


 Saco de Gatos 
 Associação Cultural e Espaço de Intervenção Social  

Bookshop - Coffee Bar
for tramps   pour amoureux
fur auslander   para aburridos
per revoltati   at forstyrre

para gente de todos os lugares
 sempre com entrada livre 

Nas quintas de Julho Gato Vadio projecta alguns episódios da série televisiva Pipi das Meias Altas,produzida pela televisão sueca, e baseado nos livros da escritora de literatura infanto-juvenil Astrid Lindgren, que teve como protagonista principal a actriz Inger Nilsson.

"Pippi Långstrump" (em sueco) , Pipi das Meias Altas ( em português) , Pipi das Calças Largas ( em castelhano), Fifi Brindacier (em francês), Pippi Longstocking ( em inglês) é o título de uma série de livros infanto-juvenis da autora sueca Astrid Lindgren, e que foi transformada em série de TV, iniciada em 1969, com várias réplicas até 1973, e que povoam ainda hoje o imaginários de muita gente nova, e menos jovem.
O anarco-langstrumpismo da Pipi é reconhecido por muita gente.
Pipi é uma rebelde, uma adepta de estratégias insurreccionais. Provoca as situações, transforma cada território que atravessa numa zona autónoma temporária. Na sua casa ( Villa Drôlederepos) – que não é mais do que um squatter autogerido - ela vive com indivíduos seleccionados por afinidade: o senhor Nilsson e o tio Alfred – que não são só dois compinchas perfeitos, mas também são seres dotados de razão, que vivem de acordo com os seus desejos, o que torna a coisa mais alegre, como se imagina. A casa está localizada no limbo do poder capitalista, estatal e patriarcal, e completamente fora do sistema mercantil de mercado. Lá ninguém trabalha e as actividades são realizadas de uma forma lúdica. Pipi é uma teórica subversiva. Ela não pára de inventar novas situações, novas possibilidades de acção graças à sua criatividade fenomenal. Pipi é apátrida, já percorreu o mundo, não é de nenhum lado e, ao mesmo tempo, é de todos os lugares. Pipi é irrecuperável. Ela constrói com audácia e mestria o seu projecto de emancipação, de experimentação quotidiana, evitando as manobras que possam rebaixá-la. Não obstante, todos os dispositivos do poder tentam constantemente manietá-la, e trazê-la para a ordem: a tia Percilla, que conspira com as madames da vizinhança para a levar para a escola, os chuis que a querem levá-la à força para orfanato, os ladrões que pretendem roubá-la e atentar contra a sua pessoa. Pipi a todos os ridiculariza graças à sua perspicácia, à sua imaginação e à sua força prodigiosa. Não conseguimos imaginá-la integrada numa família, numa igreja, numa pátria, num partido. Os adultos não conseguem impôr-se à sua vontade. Acima de tudo, Pipi é uma criança. Ela não espera crescer para ser intelectual, saber a tabuada, para se casar ou se candidatar a presidente de câmara ela quer apenas viver de acordo com seus próprios desejos e segundo as suas próprias necessidades. 
 Quinta 04 de Julho, 21:30h  

 Pipi chega à vila Kunterbunt 

Tommy, com nove anos, e Annika, com apenas oito, são dois irmãos que vivem numa pacata aldeia da Suécia. Moram perto de Villa Kunterbunt, uma casa de aparência divertida que se pensa ter sido construída em tempos por um marinheiro. No entanto, sempre esteve vazia até que, certo dia, ao final da manhã, algo de extraordinário acontece: uma menina com umas botas demasiado grandes e um macaco ao ombro chega à aldeia montada num cavalo e ocupa Villa Kunterbunt. Tommy e Annika entram pela primeira vez na casa e travam amizade com Pippi das Meias Altas. Contudo, há pessoas que pensam que uma menina tão pequena como Pippi não pode viver sozinha. E isso significa sarilhos...

 Os novos amigos de Pipi 

Quando passam por Villa Kunterbunt no regresso da escola, Tommy e Annika ouvem Pipi a ressonar. Decidem acordar a amiga e esta faz-lhes uma proposta irresistível: Pipi decide tirar algumas moedas de ouro do baú que o pai lhe deixou e ir às compras. As crianças andam de loja em loja, fazem travessuras e compram muitos sacos de guloseimas que depois partilham com os outros meninos da aldeia.

 Pipi e o jogo de procurar coisas 

Chove a cântaros quando Tommy e Annika entram em casa de Pipi para lhe dizer que a mãe a convidou para tomar chá nessa tarde. Enquanto Tommy e Annika estão na escola, Pipi rega as flores apesar de estar a chover copiosamente e, por fim, decide aceitar o convite. Entretanto, treina boas maneiras e até lava os pés, esfrega o chão de um modo muito peculiar e ainda inventa um jogo novo de “procurar coisas". Por fim, é a altura do grande momento: a chegada de Pipi ao chá das 5. Será que Pipi consegue comportar-se como uma senhora

5 a 28 de Julho nas paredes vermelhas do Gato Vadio
Exposição com esculturas de Celestino Monteiro
 "Chapas Artístico-Mutáveis" 
 Uma visão Surreal sobre a sobrevivência dos restos 

Na inauguração, sexta 05, pelas 22h03 haverá concerto ao vivo de:
 "Rocha, Variações precárias #138 para piano" 

 Sábado 06 de Julho
 Domingo 07 de Julho 

17-24h
Livros ou Discos
Bolachas ou Licores
Cerveja ou Vinho a copo
ou uma longa e intensa conversa...

Na livraria ... já foi e voltou em quadriplicado 
Sistema Solar / Documenta
A Vida das Plantas
Uma Metafísica da Mistura

"Os seres vivos são para o mundo o que as flores são para as plantas: o seu sexo. Estamos acostumados a entender a sexualidade como um acto puramente orgânico ou uma dimensão exclusivamente biológica. Deveríamos, ao contrário, aprender a considerar a sexualidade biológica como um dos múltiplos reflexos de um fenómeno de dimensão cósmica, no qual o mundo se renova e modifica a sua consistência. O mundo é constantemente rearmado de modo diferente, e é isso que reproduzimos sexualmente. A vida é o sexo do mundo: não alguma coisa que tenha acontecido acidentalmente e a posteriori em algum momento da sua história, mas a sua estrutura originária, o seu dinamismo identitário mais profundo."
[Emanuele Coccia]

Comentários