Quantas vidas tem um Gato?

Os menos distraídos podem ter reparado que depois de tanto escarcéu afinal o Gato Vadio não bateu com a porta. Longas reuniões e assembleias, com direito a algumas bufadelas e arranhadelas, a gataria não descansou.... Afinal existiam pessoas associadas inconformadas com as notícias do fecho que se uniram pela vontade de manter o Gato. Vai-se a ver e o incumprimento dos prazos legais de aviso de não-renovação do contrato permitiu ficar tal e qual.... e há a esperança que se mantenha até dezembro de 2019.

A solução?
Não é mais do que o processo já em curso: 12 vadios, novos e velhos, chegaram-se à frente para garantir a maioria das tarefas e turnos necessários à abertura do Gato nos próximos meses. Velha guarda e sangue novo – uns mais cépticos, outros mesmo cáusticos – a experimentar outras formas de cuidar da associação mantendo a sua natureza vadia.

Vão ter de nos continuar a aturar por cá! E depois logo se vê.

O Gato Vadio está vivinho da silva e recomenda-se – já perdemos a conta às vidas que passaram.
Por isso aparece, maldiz, propõe, ronrona, associa-te.... faz-te Vadio! - Saco de Gatos
...

31 de Agosto a 03 de Setembro | Tranquilidade | Musicalidades

Aberto de Quinta a Domingo
Open from Thursday to Sunday
17h - 24h 
Bookshop - Coffee Bar
for tramps   pour amoureux
fur auslander   para aburridos
per revoltati   at forstyrre
para gente de todos os lugares
 sempre com entrada livre 

 Nas quintas de Agosto, Gato Vadio apresenta...
ciclo de cenas tranquilas.
 Quinta 31 de Agosto, 21:30h 

Festa de Casamento 
(The Wedding Party) 
  Brian the Palma, Wilford Leach , 1969, 1h 32m 
Uma encantadora comédia de equívocos, cheia de estilo e de humor sobre um atarantado noivo, uma noiva demasiado ansiosa e a intrometida família dela...

 Sábado 02 de Setembro, 18:00h 

Lançamento Livro Musicalidades
 e breve intervenção musical

Buscando explorar os potenciais semióticos que o som e a música têm produzido em seu encontro com a saúde, Felipe Nunes Vargas acompanha a produção de sentido em torno das expressões sonoras no contexto da clínica em saúde mental.
Tomando o corpo e o sentido a partir de Spinoza e Deleuze, situa a experiência estética diante da cognição humana, decompondo procedimentos e relações expressivas que ocorrem em torno do som e seus trajetos sensíveis no corpo, na consciência e na escuta. Como método, utiliza o “diário do imaginário”, uma cartografia de imagens da consciência que mapeia, de modo estético, a complexidade da experiência sonora. Por meio de pequenas ficções.

MUSICALIDADES orquestra relações expressivas inspiradas na prática clínica e sonoro-musical do autor, buscando envolver na linguagem a textura vibrátil da experiência


 Domingo 03 de Setembro 

Livros ou Discos
Bolachas ou Licores
Cerveja ou Vinho a copo
ou uma longa e intensa conversa

Comentários