27 de Abril a 01 de Maio - PhotobookClub * NaCalha * PortugalReal * JúlioHenriques&CorsinoVela

de 21 de Abril a 01 de Maio  

a grande parede vermelha da livraria estará habitada pela exposição no limite do concreto de Malu Ribeiro
inserida no projecto Na Calha promovido
por alunos de Belas Artes do Porto.

 
Quinzenalmente a parede será renovada com novas exposições.      
 Quarta 27 de Abril, 21:30h 

Encontro do Photobook Club do Porto
apresentação de José Oliveira
do livro La Photographie Creative de 
Jean Claude Lemagny

 Quinta 28 de Abril, 21:30h  

Nas Quintas de Abril...
mostramos o Portugal Real,
sempre pelas 21:30 com ENTRADA LIVRE
OS MUTANTES
Teresa Villaverde, 1998, 1h53m


Andreia, Pedro e Ricardo não aceitam as coisas como elas são, não se encaixam em lado nenhum. Nunca se rendem, estão sempre à procura de alguma coisa. Têm dentro deles uma força invisível que se espalha por todo o lado. Alguma coisa dentro deles está sempre prestes a explodir. É como um energia selvagem, um desejo de mudar as coisas, de viver de uma forma diferente. Não sabem muito bem o que querem, mas há sempre alguma coisa que os incomoda.
  Júlio Henriques com Corsino Vela

  Sexta 29 de Abril, 22:00  
La influencia, de Pedro Aguilera (2007, 1h22m)
(falado em castelhano e com legendas em francês)    
  Júlio Henriques com Corsino Vela

  Sábado 30 de Abril, 17:30h 
Apresentação do livro
La Sociedad Implosiva da editora Muturreko
  Júlio Henriques com Corsino Vela

Sábado 30 de Abril, 21:30h 

Um Toque de Pecado, Jia Zhangke (2013, 2h20m)       

chegou a novíssima RE.VIS.TA

Na nossa Livraria  
chegou a novíssima RE.VIS.TA
A Re∙vis∙ta define-se como publicação de reflexão, crítica e divulgação com foco nas artes visuais e particular incidência na produção artística contemporânea. Centrada no campo artístico português, considera de forma coerente as relações com o contexto internacional. Circunscreve-se num espectro de acção abrangente e simultaneamente condicionado. Com uma equipa de três elementos, incluindo a designer que nos acompanhada
desde a 
Revista 4, mantemos o caminho da auto-publicação e da impressão em papel.

 Para breve ...  

Coming soon ... 

Sexta 06 de Maio, 21:30h
 “As Palavras, que Pena“ 
Encontro de leitores concussionários da obra de
Yvette Centeno
1ª sexta-feira de cada mês a começar em Maio.
Dinamizada por Sérgio Costa Araújo & Ana Todo Bom.
Por vezes com a participação de convidados.

21 a 25 de Abril - * NaCalha * PortugalReal * AntoninArtaud

 Quarta 20 de Abril, 18:00h  

Apresentação do livro Victorianas
com poesia de Marília Miranda Lopes
a cargo do Prof. José Melo.
 de 21 de Abril a 01 de Maio  

a grande parede vermelha da livraria estará habitada pela exposição no limite do concreto de Malu Ribeiro
inserida no projecto Na Calha promovido
por alunos de Belas Artes do Porto.


A inauguração será no dia 21 às 19:00h
Quinzenalmente a parede será renovada com novas exposições.      
 Quinta 21 de Abril, 21:30h  

Nas Quintas de Abril...
mostramos o Portugal Real,
sempre pelas 21:30 com ENTRADA LIVRE
O SANGUE
João César Monteiro, 1989, 1h35m


Morremos tanto pelo sangue que herdamos como pelo sangue que fizermos jorrar. É uma obscura consciência disso aquela a que este filme introduz, como se cada violação das regras ancestrais (em termos míticos e em termos de cinema) assumisse a terrível responsabilidade do parricídio, sabendo-o inelutável mas também fatal.
 Sábado 23 de Abril - 21:30h  

Conversas sobre o que a literatura pensa da vida
  Jorge Leandro Rosa prossegue o ciclo conversando com Nuno Pintoà volta dos escritos de Antonin Artaud com teatralização de ambos.
Antonin Artaud viveu 51 anos, a que há que subtrair 9 anos em asilos e hospitais psiquiátricos. Não sobra muito tempo para uma obra que já se aproxima dos trinta volumes. No entanto, a obra de Artaud não é uma obra como são as outras obras e, sobretudo, não foi escrita em condições e com os objectivos habituais das «obras literárias». Na verdade, os escritos de Artaud, por geniais que sejam, são discursos demasiado vivos, com demasiadas arestas e intuições monstruosas para que a relação que temos com eles possa ser confortável. A nossa sessão não pacificará o que Artaud quis em carne viva, o que não significa que esteja à altura do «malhar das forças» que Artaud nos traz. Mas algo da alegria selvagem, algo do grito, algo do ritual artaudiano subsistirá aqui. «Tenho o crânio espesso mas a alma lisa, um coração de matéria encalhada».

Novidades da ANTÍGONA, EDITORES REFRACTÁRIOS

Na nossa Livraria  
as novidades da ANTÍGONA, EDITORES REFRACTÁRIOS.

"As editoras não se definem apenas pelos autores que aceitam ou recusam, mas sobretudo pela maneira como os aceitam ou recusam"

Apologia do Ócio / A Conversa e os Conversadores

Robert Louis Stevenson

Estes dois ensaios-pepitas, tão brilhantes como concisos, irradiam o palpitante calor da vida e a luminosa mensagem de que o futuro pertence aos ociosos e aos bons conversadores. Revelando o ócio e os seus ditosos derivados não como inércia inútil, mas sim tónicos diários ao alcance de todos, Apologia do Ócio (1877) e A Conversa e os Conversadores (1882) são páginas para folhear com deleite, em que cintila uma arte de viver com benefícios comprovados e se desmonta um quotidiano acinzentado pelas obrigações laborais. Essenciais para converter trabalhadores inveterados, fãs de horas extraordinárias e gurus dos lucros anuais em gente com alegria crónica, estes textos demonstram que o ócio e a conversa merecem figurar como felizes vícios, a cultivar, na vida do homem.

Cartas a Um Jovem Poeta

Rainer Maria Rilke
Cartas a Um Jovem Poeta (1929), agora em edição bilingue posfaciada por José Miranda Justo, reúne dez epístolas publicadas postumamente e enviadas ao longo de cinco anos por Rainer Maria Rilke a Franz Xaver Kappus, jovem militar que procurava dar os primeiros passos na poesia. Neste compêndio vital sobre o ofício do poeta, a intensidade lírica e a tocante humildade das suas linhas fundem-se sublimemente com as reflexões em torno da criação poética, dando corpo a uma conduta de vida, norteada pelo rigor e pela integridade. Cartas a Um Jovem Poetaperdurarão como uma meditação sobre a posição do poeta no mundo moderno e como uma lição de independência sem concessões, num mundo em que o homem cada vez mais se anula na multidão.
Viagem aos Confins da Cidade
- A Metrópole e as Artes no Outono Pós-Moderno (1972-2001)
Leonardo Lippolis
Na pós-modernidade, o corpo em transformação das metrópoles revelou os sinais dolorosos de um fim trágico do Ocidente. Hoje, a cidade transformou-se no espelho de uma sociedade em declínio, no modelo de uma distopia, ou seja, num lugar onde é horrível viver. Cidades feitas para deixar circular as mercadorias e organizar as necessidades do capital não podem deixar de reduzir as pessoas a fantasmas que têm medo da própria sombra.
Leonardo Lippolis

A Vida sem Princípios

Henry David Thoreau

Texto polémico e agitador de consciências, A Vida sem Princípios destila em cada uma das suas páginas, como gotas de «orvalho da verdade fresca e viva», a essência da filosofia rebelde de Henry David Thoreau. Proferida pela primeira vez em 1854, esta palestra de puro tom transcendentalista, que se cravava como um espinho na sociedade industrial e na vida sem princípios dos concidadãos de Thoreau, ecoa num presente em que o progresso desenfreado equivale a uma desumanização generalizada. Sem darem tréguas a falsas necessidades materiais, e pondo-nos de sobreaviso contra todas as instituições, estas linhas, tão breves quanto centrais no pensamento do autor, são uma leitura essencial para que não sejamos «casca e concha, sem nada de tenro e de vivo dentro de nós».

14 a 17 de Abril - * NaCalha * PortugalReal * AlmaAzul

 de 07 a 17 de Abril  

a grande parede vermelha da livraria estará habitada por uma exposição de João Pedro Amorim inserida no projecto
Na Calha promovido por alunos de Belas Artes do Porto.
Quinzenalmente a parede será renovada com novas exposições.      
 Quinta 14 de Abril, 21:30h  

Nas Quintas de Abril...
mostramos o Portugal Real,
sempre pelas 21:30 com ENTRADA LIVRE
RECORDAÇÕES DA CASA AMARELA
João César Monteiro, 1989, 2h2m


Um pobre diabo de meia-idade vive no quarto de uma pensão barata e familiar, na zona velha e ribeirinha de Lisboa. Atormentado pela doença e vicissitudes de ordem várias, o idiota, que se alimenta de Schubert e, quiçá, de uma vaga cinéfila como forma de resistência à miséria, é posto no olho da rua, após tentativa fruste contra o pudor da filha da dona da pensão...
 Sábado 16 de Abril - com Alma Azul  

17:30h -  Leituras do Livro
A magia que tira os pecados do mundo
de Alberto Pimenta

(se não tens o livro nós emprestamos,
vamos todos ler em conjunto e dissecar o seu conteúdo)
 Sábado 16 de Abril - com Alma Azul  

21:00h Residência de Escrita 
Residência de Escrita Alma Azul » As Mãos no Fogo
Alma Azul realiza durante o ano de 2016, Residências de Escrita para revelar e divulgar novos autores numa geografia que vai do Minho ao Algarve.
Estas Residências são dirigidas a autores (ficção) que desejam publicar o seu trabalho na Antologia: As Mãos no Fogo que assinalará o 17.º aniversário da produtora de atividades culturais, e que será apresentada em Setembro de 2016, em Coimbra.
As Residências: As Mãos no Fogo (título da Antologia) destinam-se a formar e selecionar novos autores a incluir na Antologia que terá produção gráfica a partir de Julho de 2016, e grande divulgação nas principais Livrarias e Bibliotecas do país, além de Feiras do Livro e Escolas, a partir de Setembro, mês do 17.º aniversário da Alma Azul.
A Residência será da responsabilidade de Elsa Ligeiro, editora e fundadora da Alma Azul (1999), e terá o mínimo de 5 e o máximo de 10 participantes.
Será realizada na Livraria Gato Vadio, no Porto, no dia 16 de Abril, das 21 às 23 horas e no Porto será gratuita (por deferência com o projecto da Livraria Gato Vadio - Associação Saco de Gatos).
Inscrições na Livraria Gato Vadio ou pelo e-mail sacodegatosvadios@gmail.com até ao dia 12 de Abril.

Alberto Pimenta

 Na nossa Livraria,  
,
pela Pianola Editores, ou Momo Editora,
ou Edições Chão da Feira, ou 7 Nós Editora, ...
Alberto Pimenta sempre presente!

07 a 10 de Abril - NaCalha// PortugalReal // Ruído // DoPoenteAoLevante // AlbertoPimenta

de 07 a 17 de Abril  

a grande parede vermelha da livraria estará habitada por uma exposição de João Pedro Amorim inserida no projecto
Na Calha promovido por alunos de Belas Artes do Porto.


A inauguração será no dia 07 às 19:00h
com instalação de vídeo e pequena conversa.

 
Quinzenalmente a parede será renovada com novas exposições.      
 Quinta 07 de Abril, 21:30h  

Nas Quintas de Abril...
mostramos o Portugal Real,
sempre pelas 21:30 com ENTRADA LIVRE
FANTASIA LUSITANA
João Canijo, 2010, 1h7m

A propaganda imaginada e imaginária do salazarismo, durante a II Grande Guerra, pregava a proeza de uma neutralidade devida ao génio de Salazar. Proclamava a ausência de guerra no meio da guerra, mesmo com o fluxo de refugiados que chegava a Lisboa, Portugal era um paraíso de paz e tranquilidade totalmente alheio a uma guerra que só dizia respeito aos outros...
SEXTA-FEIRA, 8 ABRIL 2016, 21.45h
TEATRO DA VILARINHA | PORTO
> RUÍDO VERMELHO > EM CONCERTO
O Atelier de Composição, na sua primeira colaboração com a Arte no Tempo, apresenta em concerto o trio RUÍDO VERMELHO, composto por Francesco Dillon (violoncelo), Nuno Aroso (percussão) e Luis Antunes Pena (electrónica).
Serão apresentadas obras de Norbert Fröhlich, Luis Antunes Pena, Pedro Junqueira Maia, Milica Djordjevic, Caspar Johannes Walter e a improvisação 'Narcissistic Rooms' deste interessantíssimo colectivo que faz agora a sua estreia em Portugal.
>> entrada livre <<    
 Sábado 09 de Abril 

Do Poente ao Levante
 Viagens pela Poesia e Cinema Sírios


18:00h contextualização histórico-social e leitura de
poemas em árabe e português

21:30h Projecção do filme :

A flood in baath country / Omar Amiralay (2003 - 50min)
falado em árabe com legendas em inglês
Devastada hoje pela guerra, a Síria é um país de cultura ancestral. Damasco, cidade de emperadores e de califas é considerada a mais antiga capital do mundo. Com o final do império otomano, a Síria tornou-se um dos centro do nacionalismo árabe contemporâneo e um dos países culturalmente mais dinâmicos do mundo árabe. O que se propõe com esta sessão é viajar do Ocidente para Oriente e visitar a história e a da cultura sírias do final do século XX e princípio do século XXI através da leitura (em árabe e em português) de alguns poemas e da projecção de um filme. A primeira sessão terá como tema central a Síria do século XX.
 Domingo 10 de Abril, 16:30h 

4 anos depois, Alberto Pimenta regressa ao Porto, regressa ao Gato Vadio para uma conversa em torno do seu NOVO livro.