Escândalo Erótico-Social e Émile Zola

     
E são esses pulhas, esses theotónios de merda que nem merecem que se lhes escarre no focinho, são eles que andam por aí a pregar a moral  à maneira dum ignóbil frei Tomaz. Muitos dos estudantes - sei-o de boa fonte - que foram ao Governo Civil requerer a apreensão  do meu livro Sodoma Divinizada e Canções de António Botto, tinham acabado de vir da alcova com os homens de quem são souteneurs! isso seria extraordinário ridículo se não fosse antes profundamente reles. Dizem esses tipos que eu não tenho o sentimento do ridículo; e eles então com a sua acção palerma que tem sido o gáudio dos cafés!...

Raul Leal (Henoch)
Para os Sórdidos Estudantes de Lisboa.

ProtagonistasFernando Pessoa, António Botto, Álvaro de Campos
Raul Leal (Henoch), Pedro Theotonio Pereira, Liga de Acção dos Estudantes de Lisboa, M.R.L., Governo Civil de Lisboa, Júlio Dantas, Álvaro Maia, Gil Barreira, Marcello Caetano, LP, Moitinho de Almada.
Organização, prefácio e notas: Zetho Cunha Gonçalves.
RevisãoAndreia Baleiras.
Edição: Livraria Letra Livre. Lisboa. 2014.




     

Zola (Émile) - Como se Morre
Zola porque sim

dar a ler Zola, nos dias que passam só pode
ser tomado como provocação.» (Vitor Silva Tavares da apresentação).

Tradução: Célia Henriques.
Capa de Luís Henriques.
Composto e paginado por Pedro Serpa.
Edições &etc
Lisboa.
2014

Sem comentários:

Enviar um comentário