08 a 12 de Abril - LMDiplomatique // Tarantino // PublReservado // GuyDebord // Haydn // LábioAbril

Quarta, 08 de Abril, 22:00h 

---- Sessão de leitura e debate sobre temas sociais ----- (às segundas 4as-feiras de cada mês) 

A dívida impagável da Grécia
Texto de apoio - Artigo de Serge Halimi, «Apoiar a Grécia», publicado na edição portuguesa de Março do jornal Le Monde Diplomatique http://pt.mondediplo.com/spip.php?article1047
O governo alemão pretende utilizar o seu domínio económico e financeiro para forçar a Grécia a manter o rumo de uma política de austeridade que arruinou o país. Sabe-se que a dívida é impagável. O que fazer neste cenário? Satisfazer os apetites dos credores ou romper com a dependência financeira, sem medo das consequências supervenientes.

 Quinta, 09 de Abril, 21:30h  

Nas quintas de Abril GatoVadio apresenta...

filmes de Quentin Tarantino.

Jackie Brown
(154 m)

Uma história de pessoas reais que pisam a linha de vez em quando.
(1997)

 Sexta, 10 de Abril, 18:30h 

Público Reservado
apresentação

A Público Reservado, tem desde o princípio a premissa editorial: novas traduções e lançamento das mesmas.
Na próxima sexta-feira, dia 10 de Abril, lançam o guião de As Ruínas de Tácito-uma trilogia teatral, com design de lina e nando, e coordenação da Público Reservado.
Cinquenta e duas páginas, três capítulos, que vão de Heiner Müller, a Kaváfis, passando por Ted Hughes, Kurt Cobain, Tácito, e tantos outros.
Venham ler,espreitar.
Composição/Foto de Joana Mafalda Inácio.

 Sexta, 10 de Abril, 21:30h 

Apresentação de "Esta Má Fama" e "Planeta Doente"
de Guy Debord, da Livraria Letra Livre,
com a presença do Júlio Henriques (tradutor das 2 obras) e dos Editores.

Presente também Vitor Silva Tavares da prestigiada editora &etc.

 Sábado, 11 de Abril, 17:00h
Nas audições comentadas por Virgílio Melo chegamos a

O classicismo (i) - Haydn e a forma-sonata

 Sábado, 11 de Abril, 21:30h


Apresentação do livro Lábio/Abril de Daniel Lourenço

"Lábio/Abril" consiste numa exploração, em prosa poética, de diversas figuras menores na história sexual portuguesa - uma puta, um soldado... - a quem é finalmente concedida a oportunidade de se expressarem livre e liricamente, em oposição ao seu silenciamento histórico quer sob o fascismo, quer sob um liberalismo pós-fascista que falha ainda em representá-las. Pegando em e promovendo os subtextos eróticos e corporais da Revolução dos Cravos, "Lábio/Abril" procura traçar uma contra-memória do 25 de Abril: uma reescrita queer-feminista dos seus eventos em que vozes dissidentes se afirmam no espaço utópico da poesia, desenhando as suas próprias trajectórias frágeis e improváveis.

"Os silêncios de abril são os silêncios de sempre: servem para calar as pétalas do seu contra-poder."
___

Esta é a segunda apresentação pública do livro, que contará com exemplares à venda e a presença do autor, que comentará o texto e lerá do mesmo.

 Domingo, 12 de Abril   
Faça chuva ou faça sol, um óptimo lugar para passar a tarde
numa amena cavaqueira ou no aconchego de um livro.

Expandir

Sem comentários:

Enviar um comentário