Com Uma Faca nos Dentes (3)

Poesia Marcial, quem vai à guerra...

Com pesar informamos que a sessão de poesia que estávamos a organizar foi censurada pela Comissão Sistémica Anti-Erótica. Os livros que serviriam para enaltecer os valores intrínsecos da Poesia e da Arte e para homenagear o erotismo, a sátira e os cantos de amor, foram apreendidos pelo depósito ilegal da supracitada Comissão. O director desse infame instituto censório, o senhor Silva, cheirava a cebola, escarvava vigorosamente o orifício auricular com a unha do mindinho, pediu uma mini e perguntou se tínhamos o telefone da tal senhora Natália.
Saiu sem pagar, com um matacão de cera incrustado até ao sabugo, mas…sem nos palmar o último original da Poesia do Marcial, poeta uno e ditoso, alvo de perseguição pela Comissão Internacional do Fomento Anti-Erótico.
Dado que a proibição incide sobre as leituras à haute voix de poemas, será todavia legítimo (que venham os ilegítimos, os bastardos, as ninfas e os erotomaníacos) distribuir ao nosso querido e bem-amado púb(l)ico na sessão de poesia em causa, que terá lugar este Domingo às 18h que é para o padre da paróquia de Cedofeita vir aqui num ápice depois de celebrado o missal, alguns prospectos volantes com os versos censurados. Aguardem-nos: quem vai à guerra dá e leva. Contamos consigo para dar corpo ao manifesto.

Os Vadios, 3 de Abril de 2008. Porto.


Sessão de Poesia Erótica e Satírica, poemas extraídos da Antologia de Poesia Portuguesa Erótica e Satírica, organizada por Natália Correia e co-editada pela Frenesi e a Antígona.

Sem comentários:

Enviar um comentário