15 a 19 de Abril - Castoriadis // Tarantino // Vadios // AlmaAzul // ...

 Quarta, 15 de Abril, 22:00h 

A partir de Abril na terceira 4ª feira de cada mês marcamos encontro com o
pensamento de autores anarquistas e libertários.
A dinamização estará a cargo de António Alves da Silva, professor e activista social.
Primeiro encontro com Cornelius Castoriadis

 Quinta, 16 de Abril, 21:30h  

Nas quintas de Abril GatoVadio apresenta...

filmes de Quentin Tarantino.

Kill Bill, a Vingança
(111m)

Um assombroso thriller, recheado de acção,
sobre uma traição brutal e uma vingança épica.

(2003)

 Sexta, 17 de Abril 

Tarde e serão para conversas vadias

 Sábado, 18 de Abril, 17:00h

A Alma Azul apresenta,
integrada na programação do Festival A Língua Toda 2015, 
a Revista Alma Azul 10, 
que surge renovada de conteúdos e com nova imagem gráfica.
São convidados da sessão os autores
Rui Manuel Amaral e Paulo Frederico Gonçalves.
A iniciar a sessão terá lugar a audição da Narrativa Radiofónica » A Invenção do Amor, de Daniel Filipe, na voz de Óscar Apóstolo, da Rádio Universidade de Coimbra; e a Leitura da Declaração de Amor à Língua Portuguesa, de Clarice Lispector.
A Revista Alma Azul 10 acolhe no seu interior 5 ficcionistas (As Mãos no Fogo), entre eles Rui Manuel Amaral e Paulo Frederico Gonçalves; artigos de reflexão, crítica literária, e o caderno permanente: A Língua Toda, que divulga autores da Língua Portuguesa, numa parceria com o Festival A Língua Toda, que a Alma Azul produz desde 2009, em várias cidades.
O destaque na Revista Alma Azul 10 vai para o brasileiro Oswald de Andrade, com um ensaio de Beatriz Helena Ramos Amaral, poeta e curadora na Casa Azul (Haroldo de Campos), de São Paulo, Brasil.
Completam a Revista, textos sobre o livro Passagens, de Teolinda Gersão, de Maria do Rosário Fardilha; e sobre John Cage, de Emanuel Pimenta, compositor, professor e colaborador do mítico músico norte-americano; e ainda dois portfolios dos fotógrafos Sérgio Pereira e Pascal Moreaux
A capa e contracapa contêm obras do artista plástico: António Barros.

 Domingo, 19 de Abril   
Faça chuva ou faça sol, um óptimo lugar para passar a tarde
numa amena cavaqueira ou no aconchego de um livro.

Expandir

Atelier de Composição, na nossa Livraria...

 Na nossa Livraria... 


... os livros e discos do Atelier de Composição.
Idealizado e fundado no decorrer do ano de 2001, o ATELIER DE COMPOSIÇÃO é uma associação cultural vocacionada para a divulgação e promoção da música portuguesa contemporânea.
Iniciando as suas actividades com a publicação de livros sobre os compositores portugueses contemporâneos, não limita as suas pretensões à edição, mas também à organização de concertos, de conferências, de encontros com compositores, exposições, entre várias outras acções que se enquadram na sua proposta inicial.

Destaque especial para Álvaro Salazar

 A acontecer brevemente ... 

24 de Abril, 19:00h 
Convívio do Movimento "Uma Vida Como A Arte",
conversa com instituições parceiras e amig@s.

8 e 9 de Maio,
Exposições, apresentações, performances, concertos, mostra de editoras.

 

bado, 16 de MaIo, 17:00h  

 C L O T I L D E   *  R O S A 

[n. 1930] É o compositor que se mostra na 10ª sessão das

Conversas com Compositores Portugueses Contemporâneos 

ISABEL SOVERAL, anterior convidada das sessões, será agora a intermediária deste encontro com uma das importantes figuras da cultura musical portuguesa contemporânea.

08 a 12 de Abril - LMDiplomatique // Tarantino // PublReservado // GuyDebord // Haydn // LábioAbril

Quarta, 08 de Abril, 22:00h 

---- Sessão de leitura e debate sobre temas sociais ----- (às segundas 4as-feiras de cada mês) 

A dívida impagável da Grécia
Texto de apoio - Artigo de Serge Halimi, «Apoiar a Grécia», publicado na edição portuguesa de Março do jornal Le Monde Diplomatique http://pt.mondediplo.com/spip.php?article1047
O governo alemão pretende utilizar o seu domínio económico e financeiro para forçar a Grécia a manter o rumo de uma política de austeridade que arruinou o país. Sabe-se que a dívida é impagável. O que fazer neste cenário? Satisfazer os apetites dos credores ou romper com a dependência financeira, sem medo das consequências supervenientes.

 Quinta, 09 de Abril, 21:30h  

Nas quintas de Abril GatoVadio apresenta...

filmes de Quentin Tarantino.

Jackie Brown
(154 m)

Uma história de pessoas reais que pisam a linha de vez em quando.
(1997)

 Sexta, 10 de Abril, 18:30h 

Público Reservado
apresentação

A Público Reservado, tem desde o princípio a premissa editorial: novas traduções e lançamento das mesmas.
Na próxima sexta-feira, dia 10 de Abril, lançam o guião de As Ruínas de Tácito-uma trilogia teatral, com design de lina e nando, e coordenação da Público Reservado.
Cinquenta e duas páginas, três capítulos, que vão de Heiner Müller, a Kaváfis, passando por Ted Hughes, Kurt Cobain, Tácito, e tantos outros.
Venham ler,espreitar.
Composição/Foto de Joana Mafalda Inácio.

 Sexta, 10 de Abril, 21:30h 

Apresentação de "Esta Má Fama" e "Planeta Doente"
de Guy Debord, da Livraria Letra Livre,
com a presença do Júlio Henriques (tradutor das 2 obras) e dos Editores.

Presente também Vitor Silva Tavares da prestigiada editora &etc.

 Sábado, 11 de Abril, 17:00h
Nas audições comentadas por Virgílio Melo chegamos a

O classicismo (i) - Haydn e a forma-sonata

 Sábado, 11 de Abril, 21:30h


Apresentação do livro Lábio/Abril de Daniel Lourenço

"Lábio/Abril" consiste numa exploração, em prosa poética, de diversas figuras menores na história sexual portuguesa - uma puta, um soldado... - a quem é finalmente concedida a oportunidade de se expressarem livre e liricamente, em oposição ao seu silenciamento histórico quer sob o fascismo, quer sob um liberalismo pós-fascista que falha ainda em representá-las. Pegando em e promovendo os subtextos eróticos e corporais da Revolução dos Cravos, "Lábio/Abril" procura traçar uma contra-memória do 25 de Abril: uma reescrita queer-feminista dos seus eventos em que vozes dissidentes se afirmam no espaço utópico da poesia, desenhando as suas próprias trajectórias frágeis e improváveis.

"Os silêncios de abril são os silêncios de sempre: servem para calar as pétalas do seu contra-poder."
___

Esta é a segunda apresentação pública do livro, que contará com exemplares à venda e a presença do autor, que comentará o texto e lerá do mesmo.

 Domingo, 12 de Abril   
Faça chuva ou faça sol, um óptimo lugar para passar a tarde
numa amena cavaqueira ou no aconchego de um livro.

Expandir