16 a 20 abril - 25 anos de Fanzines, Hannah Arendt, Jacques Sternberg, "ética em sociedade".


16 abril - quarta-feira
 17h - 24h


Comemoração de  25 anos de Fanzines


de Lívido Náusea (Zine Mutante) aka Mutante Noé (Zine Crack!) aka Nunes Zarelleci (Zine D.Flagra) com Exposição de Trabalhos de 16 até 20 de Abril


17 abril - quinta-feira
21h30 - gato vadio
 

 Cinema e mulheres regressa todas as quintas-feiras do mês de Abril no Gato Vadio.

Vamos nos reencontrar com Virginia Woolf, Louise Michel, Hannah Arendt e avós da guerrilha, mas também com Mrs Dalloway, Louise (aka Jean-Pierre) e Michel (aka Cathy).


Hannah Arendt

(2012) de Margarethe von Trotta (109'), inglês com legendas em português.


Um filme. Duas mulheres.
Duas mulheres de um mesmo espaço geográfico: Alemanha.
Duas mulheres de tempos diferentes. Duas mulheres de duas gerações.
Dois aspectos que só por si problematizam questões de género, de poder e de política. Tendo em conta uma questão subjacente, mas premente em todo o filme, que podemos resumir nestas palavras de Heidegger (1954) « (...)ainda não começámos a pensar». É isso mesmo a proposta de von Trotta e de Hannah Arendt, i.e., sim, já começámos a pensar!

Dois conceitos.
Primeiro: a natureza do mal não é radical, é extrema e, segundo, antes de qualquer pertença «local» ou «íntima» o que nos pertence a todos é a nossa humanidade partilhada. Vindo de duas mulheres de tempos diferentes, ainda são dois conceitos dificilmente percebidos num mundo assente num maniqueísmo insistente, persistente, imponente e poderosamente masculino!
A história, antes de ser a vida de Hannah Arendt, como o título do filme sugere, que obviamente não se resume ao momento do julgamento de Eichmann em Jerusalém, conta a história de um pensamento de uma mulher amante e amada de Heidegger, companheira e esposa de Günther Stern (aka Günther Anders), amiga de Walter Benjamin, contemporânea de grandes pensadores, e diz-nos: «Sim, já começámos a pensar!» mexendo na dolorosa ferida dos enganos e desilusões perpetuados pelo mundo ocidental.

Trailer

18 abril - sexta-feira
17h - 24h


muito espaço para tertúlias espontâneas, reuniões privadas, encontros íntimos... 







19 abril - sábado

17h


A próxima sessão das Leituras do Gato Vadio, é dedicada a

Jacques Sternberg,

um autor magnífico e com o humor certo para esta época pascal.


Rui Manuel Amaral convida Joana Bértholo.







Evento Facebook




 

20 abril - domingo

17h 
 

Comemoração de  25 anos de Fanzines
 

de Lívido Náusea (Zine Mutante) aka Mutante Noé (Zine Crack!) aka Nunes Zarelleci (Zine D.Flagra) fim da exposição de trabalhos e Lançamento / Oferta de "Patrulha do Espaço" um zine com poesias de N. Zarelleci, A. Rockzane e Julião com DJ mutante na esplanada

Evento do Facebook




21h

Mostra mais debate:


 Rui Sequeira introduz o tema

"Ética em sociedade".












































































de novo as pequenas editoras M A L A * V O A D O R A *

de novo as pequenas editoras
M A L A * V O A D O R A * . * LIVROS 

...........................................



"3 peças de Chris Thorpe para a mala voadora" é um livro que reúne 'overdrama', 'casa & jardim' e 'dead end',

"Modos de não fazer nada" é um catálogo de cenografias de José Capela,
em português e em inglês.
 
 

 

 

9 a 13 abril - Mãos Dadas, Louise Michel, música erudita e "the Stanford prison experiment"

9 abril - quarta-feira
 21h30

 

 

 MÃOS DADAS

 um filme de LISE BASTOS 



com DAMU SHIVA e FERNANDA BOECHAT
com a presença de Lise Bastos



Evento Facebook


 

10 abril - quinta-feira
21h30 - gato vadio
 

 Cinema e mulheres regressa todas as quintas-feiras do mês de Abril no Gato Vadio.

Vamos nos reencontrar com Virginia Woolf, Louise Michel, Hannah Arendt e avós da guerrilha, mas também com Mrs Dalloway, Louise (aka Jean-Pierre) e Michel (aka Cathy).

 

Louise Michel (2008)

de Gustave de Kervem e Benoît Delépine,
1h30.
Francês com legendas em português.


«Agora que sabemos
Que os ricos são gatunos
Se os nossos pais e as nossas mães
Não conseguiram varrê-los da terra
Nós, quando crescermos,
Faremos deles carne picada. »



Quando a fábrica vai à falência, as trabalhadoras decidem que a mísera indemnização servirá para matar o patrão.
Louise (aka Jean-Pierre) fica encarregue de procurar um profissional. Encontra Michel (aka Cathy), mas será que conseguirão descobrir quem é o patrão?


 

11 abril - sexta-feira
17h - 24h

 

muito espaço para tertúlias espontâneas, reuniões privadas, encontros íntimos... 







 

12 abril - sábado

17h

 

Ouvidos escancarados para a música erudita






Evento Facebook

 



 

13 abril - domingo
21h gato vadio


 

Mostra mais debate
 

"the Stanford prison experiment", porque o poder é mau!!.


Na introdução será explicado brevemente o que é o "Stanford prison experiment" e serão mostrados excertos do relativo documentário.
 
A seguir, falar-se-á da natureza do poder.