Es.Col.A + Documentários Poéticos + Contos de Kafka | Sexta 13 & 14 de Abril


Se ainda escutas a alegria de viver ouvirás o sinal para ficar
Declaração Conjunta de Apoio
Lá do Alto da Fontinha dá vontade de planar. Vê-se outra cidade a ser construída. Tijolo a tijolo, dia-a-dia, mão a mão, sorriso a sorriso. Aquilo que parecia um abismo – uma escola vazia, abandonada e arruinada – tornou-se o próprio espaço do sonho.

Com os pés assentes na terra, constrói-se a solidariedade, o espírito comunitário, uma ideia de utilidade pública alicerçada na ajuda mútua e na partilha livre do conhecimento. Ali faz-se ainda a democracia directa e participativa que falta. Ali aprende-se a estar vivo. Ali vê-se que a crise que nos quer amedrontados e pieguinhas, foge a sete pés. Não, nem a crise, nem um rio seco e sequioso, nem as cajadadas dos falsos democratas, vão estancar o fluxo desta Fontinha...

Neste momento decisivo, por uma exigência recíproca, cada um deve colocar ao outro as questões humanas e colectivas essenciais.


Esta declaração conjunta de apoio ao Es.Col.A já foi abraçada por catorze colectivos e associações, e está aberta a mais adesões de quem quiser e quando quiser. Escreve-nos!

Lá do alto, diremos à cidade que rejeitamos o despejo decretado pela actual gestão do Município do Porto e estenderemos a mão a quem veio por bem e para ficar.


Assinam,

AIT/SP - Núcleo de Chaves e Porto
Associação Casa da Achada - Centro Mário Dionísio (Lisboa)
Associação SAPATO 43
Casa da Horta (Porto)

  • Revista Rubra
Terra Viva
UMAR - União de Mulheres Alternativa e Resposta
Partido Humanista


Sexta-feira 13 de Abril | 22h
The Way South / O Caminho do Sul 
de Johan van de Keuken
Holanda (1980-81) | 143 mins.


Interrogatório cultural através de uma paisagem sociopolítica que se entrelaça com a imigração doméstica e estrangeira e a divisão de classes. Na viagem está representada a noção de privilégio e exclusão entre o norte e o sul continentais. Ao viajar Johan van de Keuken expõe também a polarização entre o leste e o oeste, e continua à procura de uma nova visão, uma nova escala de percepção e linha de questionamento.

Sábado, 14 de Abril | 22h 
Sans Soleil / Sem Sol 

de Chris Marker
França (1983) | 100 mins.


Sans soleil estende os limites do que pode ser chamado documentário. É um ensaio, uma montagem de Chris Marker, que mistura peças de documentário com ficção e comentários filosóficos, criando uma atmosfera de sonho e ficção científica. Embora focado no Japão, o filme também foi rodado noutros países, tais como Guiné Bissau, Irlanda e Islândia.

Sábado, 14 de Abril | 17h00 
Contos breves de Kafka 

Leituras de Luís Graça Nobre e Rui Manuel Amaral
O que dizer de um autor a propósito do qual já se disse tanto? Uma simples vista de olhos a qualquer bibliografia sobre Kafka mostra a que ponto é difícil acrescentar alguma ideia nova ao que já foi dito e escrito. Mas se há escritor que se possa considerar verdadeiramente inesgotável, esse escritor é Franz Kafka (1883-1924). Ler Kafka é compreender um pouco melhor a nossa complexa e atribulada humanidade. Veja um trailer aqui.
Abaixo reproduzimos a última Carta Aberta do Es.Col.A., que fala por si e por todos nós.
A promessa de suspensão do despejo do Es.Col.A revelou-se um logro. Politicamente forçada a dialogar com os ocupantes da antiga Escola Primária do Alto da Fontinha, a Câmara Municipal do Porto (CMP) mais não queria do que anunciar que o despejo se mantinha, embora adiado. Em reunião com dois delegados da Assembleia do Es.Col.A, os representantes da câmara exigiram que o projecto assinasse a sua sentença de morte, traduzida num contrato de aluguer com fim em Junho. A continuidade imediata do Es.Col.a dependeria da assinatura desse papel.

Recapitulando: a 10 de Abril de 2011, um grupo de pessoas ocupou a antiga escola primária do Alto da Fontinha, devoluta e abandonada há mais de cinco anos pelo município que a devia manter. Depois de um mês de ocupação do espaço e já com inúmeras actividades a decorrer, a CMP mandou a polícia despejar violentamente os ocupantes e emparedar o edifício. Depois de um longo processo negocial, o Es.Col.A voltou à Escola da Fontinha onde se mantém até hoje, com a indiferença da CMP.

Esta farsa é, para nós, inaceitável, tal como o é o despejo em si - seja agora, em Junho, ou em qualquer altura. Perante quem tem, repetidamente, falhado no cumprimento da sua própria palavra e que entende o ultimato como forma de negociação, a posição do Es.Col.A só pode ser a de não aceitar a decisão de despejo. Fazê-lo seria desistir do sonho com que partimos para esta aventura, o de transformar as nossas vidas com as nossa próprias mãos, ensinando e aprendendo com quem se cruza connosco, nas ruas da Fontinha.

Porque o Es.Col.A, muito mais do que uma escola, é um laboratório dum mundo já transformado, resistiremos.

Precisamos do sentido solidário de toda a gente que se identifica com o projecto. Em todo e qualquer lado, que a ocupação e a libertação de espaços sejam a resposta generalizada ao ataque às iniciativas de emancipação popular dum sistema que prefere a propriedade, mesmo que abandonada, ao usufruto, mesmo que colectivo.

Que a moda pegue! ai, ai


Mais informação:

Sem comentários:

Enviar um comentário