The Take, Avi Lewis e Naomi Klein, 2004

Documentário (Argentina)

87'min

quinta-feira, dia 11 de Junho, 22
entrada livre





("clicar" na imagem)


Ciclo de documentários sobre a América Latina

Se se cala a América Latina, cala-se a vida!

Gato Vadio, rua do rosário 281

Entrada Livre… às quintas, 22h/todos os documentários estão legendados em português


The Take, Avi Lewis e Naomi Klein, 2004

Documentário (Argentina)


“La Tomada”

No culminar do colapso económico da Argentina em 2001 e quando a contestação social invade as ruas de Buenos Aires, num subúrbio da cidade porteña trinta trabalhadores desempregados de uma empresa de auto-peças instalam-se na fábrica falida, colocam esteiras para dormir e recusam-se a sair. Se os responsáveis pela especulação financeira do país e os gestores ultra-liberais que arruinaram a economia empresarial deram de frosques, sobejaram as máquinas e, como sempre, a massa de explorados. Neste período de crise (que passou em franjas da sociedade argentina pela fome…), os espoliados pensam em garantir o seu sustento: querem ligar as máquinas paradas e trabalhar. O simples acto - a “tomada”, termo que se generalizou na Argentina para designar os movimentos de ocupação de fábricas falidas pelos trabalhadores - questiona a gestão das empresas pondo em causa os mecanismos de poder de uma minoria que gere uma maioria autocraticamente de cima para baixo, impondo não raras vezes o lucro (e a mentira do lucro) como o único sustentáculo dessa relação. Os “tomadores” descobrem a democracia directa e de base popular, enfrentam os patrões, banqueiros e um sistema que vê nas suas amadas fábricas (cuja ruína é a outra face dessa política de amor-ao-lucro) como nada mais do que sucata para venda.

Com “The Take”, o realizador Avi Lewis (jornalista canadiano) e Naomi Klein (autora do livro No Logo) apresentam um radical programa económico para o século 21, onde a autogestão representa uma possibilidade de dignidade humana: os trabalhadores sentem a necessidade de fugir à exploração capitalista e de viver de um modo digno, garantindo condições mínimas materiais de existência e condições máximas de desenvolvimento pessoal e colectivo.


Se se cala a América Latina, cala-se a vida!

O estudante de economia vai questionar a doutrina dos seus mestres quando conhecer a realidade económica da Argentina.

O betinho da Foz vai ficar boquiaberto quando vir a realidade que lhe foi ocultada quando foi de férias vip à Jamaica no verão passado.

O guna da ribeira vai ficar com coração enternecido quando souber o que é a violência social e a pobreza de Potosi.

A dona da mercearia da esquina vai aperceber-se como é feita e de onde vem a soja transgénica que vende e passará a vender soja fair-trade e livre de OGM’s.

A brasileira da frutaria da esquina da outra ponta da rua irá chorar de nostalgia ao ver as imagens da sua terra natal devastada pela irracional e desumana ultra-industrializão!

Em cena, num logradouro perto de si!

Gato Vadio

1 comentário:

  1. O que é pena é que, nem o guna, nem o beto, nem a dona da mercearia, nem muitos outros ignorantes estejam presentes para ver estes filmes, isso sim, seria a verdadeira aposta mas então, para quem filmam os autores?? para uma masssinha de gente que sofre com tudo e nada pode fazer senão comparecer a mais e mais eventos destes! Faz pensar! para quê tudo isto? para quem? Parabéns pela iniciativa, pena que falte a polpa, como sempre e sem culpa de ninguém.

    ResponderEliminar