28 de Outubro a 01 de Novembro - PhotobookClub // Eisenstein // Perigo // MaurizioAdele

Quarta, 28 de Outubro, 21:30h  

Encontro do Photobook Club do Porto
Antº Martins Teixeira apresenta Camera Obscura de Abelardo Morell.

 Quinta, 29 de Outubro, 21:30h  

Nas Quintas de Outubro comentamos a obra do
grande cineasto russo - Sergei Eisenstein

Alexander Nevsky
(1938 / 112m)

"Aleksandr Nevskiy"
A história de como um grande príncipe russo leva um exército desorganizado para combater uma força invasora de Cavaleiros Teutónicos.
~ legendas em inglês ~
 Sexta 30 de Outubro, 21:30h  

Ricardo Norte  apresenta o
número 3 do Caderno Perigo
 Domingo 1 de Novembro, 18:00h  

recebemos a 
PORTUGAL TOUR 2015
de

ADELE H & MAURIZIO ABATE
Adele H é uma cantautora milanesa, que segue a máxima do “quem canta os seus males espanta”. Movida a loops e alguma percursão, Adele H utiliza e modela a sua voz em estratificações sonoras, numa personificação musical da mais primordial expressão sonora.

Maurizio Abate também é italiano, mas é na guitarra que se exprime, num percurso que começou já no início de 2000. Numa aproximação muito própria do blues e dos mantras psicadélicos, Maurizio Abate aborda a guitarra de uma forma muito particular, que vai do fingerpicking de John Fahey ao experimentalismo mais radical de Fred Firth. “Loneliness Desire and Revenge” é o seu mais recente trabalho e que servirá de cartão de visita a este concerto.

Na nossa Livraria Pianola Editores - Veveza

a novidade da Pianola Editores :

Para breve ... Coming soon ...

Em Novembro...  ​regressam as
Conversas com Compositores Portugueses Contemporâneos
e conheceremos a poesia e o cinema Libaneses.

 
Sexta 13 de Novembro, 21:30h
Leituras em Flagrante
 Prosseguimos o novo ciclo «Leituras em flagrante: debates à volta de textos do "Le Monde Diplomatique" (edição portuguesa)», com a coordenação do sociólogo Bruno Monteiro.
Sábado 21 de Novembro, 21:30h
Conversas sobre o que a literatura pensa da vida
Prossegue o ciclo que acontecerá no terceiro Sábado de cada mês,
dinamizado por Jorge Leandro Rosa.
A LITERATURA NOS LIMITES DA FILOSOFIA
 em Maurice Blanchot com Hugo Monteiro
Sábado 28 de Novembro, 21:30h
 
Desde Maio, último sábado do mês,  
 hoje sem musa  
sessões sobre Poesia com Pedro Craveiro.

Nesta quinta sessão, Pedro fala com Matilde Vieira sobre a poesia de
Rui Pires Cabral

21 a 25 de Outubro - // Eisenstein // Manifesto // FestFeminista // Domeneck

 Quinta, 22 de Outubro, 21:30h  

Nas Quintas de Outubro comentamos a obra do
grande cineasto russo - Sergei Eisenstein

Que Viva México!
(1932 / 90)

"Da zdravstvuyet Meksika!"
Tendo revolucionado a montagem de filmes através de tais obras-primas como os anteriormente apresentadas, o diretor soviético emigra para oeste na esperança de testar as capacidades da indústria cinematográfica americana.
Eisenstein mostra-nos a história e a cultura do México neste filme. Ele acredita, que o México se pode tornar um Estado moderno.
~ legendas em português ~
 Sexta 23 de Outubro, 18:00h  

Novo livro das edições UniPop ‘Manifesto Contrassexual’,
de Paul B. Preciado
Apresentação do livro e debate com
Helena Lopes Braga e Pedro Feijó (investigadoras e tradutoras do livro)
e Ana Cristina Santos (investigadora).

Exibição dos vídeos ‘Solar Anus’, de Ron Athey (1998),
e ´Here come the Ecosexuals´ de Elizabeth Stephens (2015)
Com um tom satírico e corrosivo, este livro traça a genealogia das tecnologias que criam a diferenciação sexual, demonstrando como a sua pretensa naturalidade é produzida por tecnologias sociais, políticas e somáticas. O sexo, diz-nos Preciado, não é a base fixa do género: é preciso olhar o corpo e vê-lo como construído; aí poderemos encontrar novos espaços de resistência.
Um mix media literário (juntando ilustração, exercícios, contrato social, análise literária, etc.), o Manifesto segue as pegadas de Foucault, Wittig, Haraway, Deleuze e Butler, entre outras, para se tornar numa importante contribuição para o feminismo e uma política crítica.
Esta é a primeira obra de Preciado editada em Portugal e uma óptima introdução à prática e teoria queer.

Paul B. Preciado (1970) é filósofo, curador e professor na Universidade Paris VIII. É também autor de Testo Yonqui (2008), El Terror Anal (2009) e Pornotopia (2011).
Mais do que isso, Preciado é um corpo cuja história é marcada pela sua filosofia: administra-se hormonas, deixa de se chamar Beatriz, escreve sobre o seu sexo, desfaz-se enquanto Sujeito.
 Sexta 23 de Outubro, 21:30h  

Integrado no Festival Feminista do Porto
 Conversa com Renato Roque
Sem Ítaca, não terias partido - a propósito da viagem na fotografia de Annemarie Schwarzenbach"
Resumo:
Tentaremos contribuir para uma caracterização do trabalho fotográfico de Annemarie Schwarzenbach, procurando contextualizá-lo na vida e na produção literária da autora e situá-lo na história da fotografia e no ambiente da fotografia alemã, europeia e americana dos anos 30. Discutiremos a contemporaneidade do olhar da fotógrafa, no quadro do que se costuma designar por fotografia documental contemporânea.
Annemarie Schwarzenbach foi uma jornalista, escritora e fotógrafa, que nasceu na Suíça em 1908. Morreu jovem, com apenas trinta e quatro anos de idade, mas foram trinta e quatro anos percorridos a uma velocidade próxima da velocidade da loucura. Depois de décadas de obscuridade, está a ser redescoberta na Suíça e em toda a Europa.
À velocidade da loucura, os sonhos no coração não ocupam espaço, duram um tempo infinito, e têm uma massa também infinita.
Albert Eintraum, O sonho e o espaço-tempo - Teoria da Relatividade Restrita dos Sonhos
Quando morre, em 1942, já tinha visitado a Pérsia, várias repúblicas soviéticas, a Turquia, o Afeganistão, os EUA, o norte de África, alguns países da África Central e grande parte da Europa, tendo passado inclusive por Portugal.
Adivinhamos nos seus escritos e na sua fotografia uma necessidade quase obsessiva de viajar e de procurar alguma coisa, que ela mesma confessa muitas vezes não saber o que é. “A viagem é uma forma de vida particularmente intensa”, escreve a autora. A viagem não tem um destino, é uma "forma de vida". Um fado. A vida como errância. Liberdade como condenação. Em verdade, a viagem parece ser muitas vezes mais uma fuga do que uma procura. Annemarie refere-se ela própria a essa compulsão para a viagem como uma “maldição de fuga”. Foge da Europa que se autodestrói, foge do nazismo, foge da família, foge da mãe, foge dela própria, foge da sua condição de homossexual. E no fim, desiludida, fala de uma liberdade desbaratada. E de cada viagem sente a necessidade de regressar a casa, de voltar à Europa.
Muitas vezes, ao longo da sua vida, esta mulher fascinante, com um rosto misterioso que de imediato nos cativa, foi associada à figura de um anjo. “Um anjo devastado” como a descreveu Thomas Mann, pai dos seus dois maiores amigos de juventude, e que por ela ficou fascinado quando a conheceu, ou “Ela não era nem um homem nem uma mulher, mas um anjo, um arcanjo”, como afirmou Marianne Breslauer, que foi sua amiga e sua companheira de viagens, uma fotógrafa suíça de prestígio, que é a autora da imagem que nós usamos para criar o nosso anjo.
 Domingo 25 de Outubro, 18:00h  

Lançamento do livro
MEDIR COM AS PRÓPRIAS MÃOS A FEBRE
de e por Ricardo Domeneck

Na nossa Livraria, a novidade da Fenda


Resumo
Este livro demonstra que a pintura não é uma das «artes visuais». Porque a sua suposta visualidade depende de um medium absolutamente imaterial que mistura o sensível (a coisa física dos seus materiais actuantes) com a vontade do autor, pois é a vontade, ou seja, a sua característica proclamativa, que não é visível nem invisível, que faz a oibra aparecer no mundo visível para ser tanto vista como tocada Por isso se defende que essa vontade, repito, nem visível nem invisível, é acima de tudo INVISUAL, Mas o medium da pintura não pode chamar-se apenas e genericamente «vontade», porque ele é «vontade óptica», logo terá por nome «opticalidade».
Observações
Brochado. Novo. 844pp.

14 a 18 de Outubro - // Eisenstein // Flagrante // Borges

Quinta, 15 de Outubro, 21:30h  

Nas quintas de Outubro GatoVadio apresenta
grandes obras de Sergei Eisenstein.

Outubro
(1928 / 95m)

"Oktyabr"
Em estilo de documentário, os eventos em Petrogrado são encenados desde o final da monarquia em Fevereiro de 1917 até ao fim do governo provisório e os decretos de paz e de terra em Novembro daquele ano. Lenin regressa em Abril. Em Julho, contra-revolucionários encetam uma revolta espontânea, e prisão de Lenin é ordenada. No final de Outubro, os bolcheviques estão prontos para greves: dez dias vão abalar o mundo. Enquanto os mencheviques vacilam, uma guarda avançada infiltra-se no palácio. Anatov-Oveyenko lidera o ataque e assina a proclamação da dissolução do governo provisório.
~ mudo c/ legendas em castelhano ~
 Sexta 16 de Outubro, 21:00h 
 
Leituras em Flagrante

Prossegue o ciclo «Leituras em flagrante», com a apresentação
do novo livro do Le Monde Diplomatique / Deriva Editores 

«CORRENTES INVISÍVEIS - Neoliberalismo no séc. XXI»
por José António Pinto  (Chalana) e Luís Bernardo.

 Sábado, 17 de Outubro, 21:30h 

Conversas sobre o que a literatura pensa da vida

 Prossegue o ciclo que acontecerá no terceiro Sábado de cada mês pelas 21:30h, dinamizado por Jorge Leandro Rosa.

É um pensamento que está nos textos. Mas não só. Às vezes com obra, outras vezes sem ela. Falar sobre o que a literatura pensa é uma maneira de evitar falar de literatura. Ou de voltar a falar de literatura. Essa coisa que não passa na televisão e não cabe nas redes sociais.
Borges e os golpes da vida
(de que ele, pessoalmente, dizia nada saber)
Borges, que não via nada à frente, possuía uma boa visão noutras direcções: via atrás de si, de viés, lateralmente e apocrifamente. É sabido – pelo menos di-lo a lenda – que Borges leu tudo. Quando cegou, já só tinha um grande e estranho hipertexto a correr-lhe por dentro das pálpebras. Mas nós aqui, nestas lucubrações sobre o que a literatura pensa da vida, achamos que os textos não andam a correr sozinhos, perseguidos pelas vidas: em algum lugar e tempo passam rasteiras, dão piparotes ou simplesmente empurram os seus criadores, gente tão assustada, ou tão só melancólica, quanto todos nós. Ora, Borges gostava de falar de arruaças e canalhices textuais. Falemos nós também delas.

Na nossa Livraria Letra Livre


a novidade da Letra Livre :

07 a 11 de Outubro - // Eisenstein // Jornadas // Palestina // LazarilhoDeTormes

Aberto de Quarta a Domingo
Open from Wednesday to Sunday
17h - 24h

Bookshop - Coffee Bar

for tramps   pour amoreux
fur auslander   para aburridos
per revoltati   at forstyrre
para gente de todos os lugares


Jornadas Libertárias - Quinta 8 out. no Rés da Rua
18h00 - Projecção do filme MIAU: Movimiento insurrecto por la autonomía de Una Misma + conversa de boca cheia sobre saúde e autonomia
R. de Álvares Cabral, n.º 263

 Quinta, 08 de Outubro, 21:30h  

Nas quintas de Outubro GatoVadio apresenta
grandes obras de Sergei Eisenstein.

Couraçado de Potemkin
(1925 / 172m)

"Bronenosets Potemkin"
Um registo dramatizado de um grande motim naval russo e uma consequente manifestação de rua que provoca um massacre policial.
~ mudo c/ legendas em inglês e português ~
Jornadas Libertárias - Sexta 9 out. no Rés da Rua
18h00 - Workshop Calendário Menstrual
R. de Álvares Cabral, n.º 263
 Sexta 09 de Outubro, 21:00h 

"Algumas peças sobre a questão Palestiniana
para reflexão Anarquista"

No quadro das Jornadas Libertárias do Porto 2015: 
Video-conversa com Ashley Bohrer, membro dos Anarquistas contra o Muro


A questão Palestiniana, embora justa, é uma causa perdida com um ingrato sabor amargo. Se uma bandeira, o nacionalismo, a criação de mais um estado são assuntos incompatíveis com o pensar anarquista, como é que a solidariedade internacional se constrói na distância? Como é que se luta contra a opressão, repressão e expulsão do povo palestiniano? Como é que os anarquistas contra o muro lidam com incompatibilidades ideológicas? Onde nos situamos nesta luta?
 Jornadas Libertárias - Sábado 10 out. na Rosa Imunda

15h00 - Apresentação do livro póstumo "Que la lucha no muera. Ante la adversidad: rebeldia y amistad" de Xosé Tarrio seguido de conversa sobre Gabriel Pombo da Silva, anarquista preso há 30 anos.
Conversa com as mães de ambos, Pastora Gonzalez e Julia da Silva.
Tr. do Ferraz, n.º 13

 Sábado, 10 de Outubro, 17:00h 


Leituras no Gato Vadio
Rui Manuel Amaral inicía o 5º ciclo das Leituras e convida Filipe Zenhas Mesquita
para lerem o "Lazarilho de Tormes"
Jornadas Libertárias - Sábado 10 out. no TerraViva
21h00 Conversa sobre Anarquismo Social e Anarco-sindicalismo
 R. dos Caldeireiros, n.º 213
Jornadas Libertárias - Domingo 11 out. na T.O.R.R.e
Das 15h00 até o pessoal se cansar
SONS DO SUBÚRBIO SELVAGEM
Workshop Hip Hop Ateneu - hip hop como ferramenta de transformação social
Nu Sta Djunto - Apresentação do colectivo e distribuição de cabazes*
Música com: Art, Xoto, Los Empty Heads, Boss, Protest&Survive, Live Low, Furnier
*TRAZER COMIDA PARA OS CABAZES*
R. da Fábrica, n.º 150, Pedras Rubras

Mais info em:

Para breve ..Coming soon ...


Sexta 16 de Outubro, 21:30h
Leituras em Flagrante
 Prosseguimos o novo ciclo «Leituras em flagrante: debates à volta de textos do "Le Monde Diplomatique" (edição portuguesa)», com a coordenação do sociólogo Bruno Monteiro:
texto escolhido - «As faces do neoliberalismo»
Sexta 23 de Outubro, 21:30h

Integrado no Festival Feminista do Porto
 Conversa com Renato Roque
Sem Ítaca, não terias partido - a propósito da viagem na fotografia de Annemarie Schwarzenbach"
Domingo 25 de Outubro, 18:00h
Lançamento do livro
MEDIR COM AS PRÓPRIAS MÃOS A FEBRE
de e por Ricardo Domeneck
Sexta 30 de Outubro, 21:30h

Ricardo Norte  apresenta o
número 3 do Caderno Perigo
Domingo 01 de Novembro, 18:00h
 ​recebemos o enceramento de uma tour italiana por Portugal
com 2 projectos:
ADELE H voz a solo
 MAURIZIO ABATE solo instrumental de guitarra acústica