10 a 14 de Junho - // Brando50 // LeMondeDiplomatique // RicardoRibeiro // Eugénio // ComingOut

 Quinta, 11 de Junho, 21:30h  

Nas quintas de Junho GatoVadio apresenta...

Marlon Brando no início dos anos 50

ELIA KAZAN
V i v a . Z a p a t a !
Viva Zapata!
(1952 / 1130m)

A história do revolucionário mexicano, Emiliano Zapata, que liderou a revolta contra a corrupção e ditadura opressiva do presidente Porfírio Diaz no início do séc. XX.

 Sexta-feira, 12 de Junho, 21:00h 

Todos os meses, numa Sexta, pelas 21:30h, depois da distribuição da
edição portuguesa do Le Monde Diplomatic..


Leituras em Flagrante
 
«Dez princípios da mecânica conspiracionista», da autoria de Benoît Bréville, publicado na edição de Junho de Le Monde Diplomatique, será o próximo texto em debate no ciclo «Leituras em flagrante: debates à volta dos textos do "Le Monde Diplomatique" (edição portuguesa)», com a coordenação do sociólogo Bruno Monteiro
.

 

 Sábado, 13 de Junho, 17:00h  

"Quem são, como pensam a música, em que se inspiram para escrever?".
O ATELIER DE COMPOSIÇÃO leva a cabo no Gato Vadio , um ciclo de conversas que se pretende divulgador do trabalho criativo dos nossos autores contemporâneos.


R I C A R D O  * R I B E I R O

[n.1971] é o compositor que se mostra  na 11ª sessão das
Conversas com Compositores Portugueses Contemporâneos
Ricardo Ribeiro estará à conversa com Diana Ferreira sobre o seu processo criativo, artístico, estético, técnico....

BIO
Ricardo Ribeiro nasceu em Aveiro a 30 de Janeiro de 1971.
Após a conclusão do Curso de Composição na Escola Superior de Música de Lisboa, sob a orientação de Christopher Bochmann e António Pinho Vargas, realizou, nos dois anos subsequentes, em Itália, o Curso de Alto Perfezionamento Musicale (Composizione), coordenado pelo compositor Franco Donatoni, obtendo o grau de Mestre em composição.
Entre 1998 e 2002, prosseguiu o seu trabalho de composição e investigação, em Paris, com o compositor Emmanuel Nunes, que surge, desde então, como influência determinante no seu percurso criativo.
Participou ainda em diferentes cursos dirigidos pelos compositores Magnus Lindberg, Philippe Manoury, Tristan Murail, Salvatore Sciarrino, Jonathan Harvey, Brian Ferneyhough, entre outros.
Em 2003, obteve, na Universidade de Nice-Sophia Antipolis, sob a orientação de Antoine Bonnet, o grau de mestre em Esthétique et Pratique des Arts. Prepara, actualmente, com o mesmo orientador, uma Tese de Doutoramento intitulada Dimensions complémentaires constitutives du temps.
Ao longo do seu percurso artístico e académico, foram-lhe concedidas diferentes bolsas, das quais se destacam a Bolsa de Aperfeiçoamento Artístico da Fundação Calouste Gulbenkian (1997 a 2001) e a Bolsa de Doutoramento da F.C.T.
As suas obras têm sido encomendadas por diversas instituições europeias e dirigidas por maestros como Beat Furrer, Guillaume Bourgogne, Pedro Neves, entre outros. 

 Sábado, 13 de Junho  

Leituras antes de jantar 

"Escrita da Terra - Eugénio de Andrade"

O Tempo das Cerejas e a Escrita da Terra,
de Eugénio de Andrade
A Alma Azul, no seu projecto Em Nome da Beira – Património Cultural, promove no próximo dia 13 de Junho, sábado, na Livraria Gato Vadio, no Porto, a Leitura de Escrita da Terra, de Eugénio de Andrade.
Amigos e leitores vão recordar o poeta que morreu no dia 13 de Junho de 2005, no Porto, através da Leitura dos seus poemas.
Haverá ainda a oferta de cerejas do Fundão, numa oferta da Câmara Municipal que apoia a iniciativa Em Nome da Beira – Eugénio de Andrade.
Recordamos que as atividades se iniciaram em Janeiro, no Fundão e em Alcains, depois seguiu-se Coimbra, onde o poeta viveu nos anos quarenta, no dia 19 de Janeiro, data do nascimento de Eugénio de Andrade, que nasceu em Póvoa de Atalaia, Fundão, em 1923.
No próximo dia 13 de Junho, sábado, no Porto, cidade onde viveu grande parte da sua vida, a Alma Azul encerra a Leitura de Escrita da Terra.

 Domingo, 14 de Junho, 17:00h

Domingos na Treta 
um ciclo de conversas informais sobre temas de interesse da comunidade LGBTQIA+ com gente que sabe alguma coisa do que está a falar.
A terceira conversa informal focará o 
Coming out na visão de mães e pais
 e contará com a presença de Ana Brito Jorge.

O FAqTO - Fato Queer surgiu há pouco mais de um mês. Nascemos da ideia de que é preciso dar mais visibilidade às pessoas LGBTQIA+, não só na altura das marchas, mas durante todo o ano, todos os dias, sempre que possível.
Nesse sentido chega agora a nossa primeira iniciativa, Domingos na Treta - um ciclo de conversas informais que irá abordar alguns temas que acreditamos ser de interesse para a comunidade LGBTIQIA+ do Porto, e não só! Esta primeira edição dos Domingos na Treta vai focar na bissexualidade, na transexualidade, no coming out sob a perspectiva de pais e mães de pessoas LGBTQIA+, no poliamor e no papel das mulheres (e do feminismo) no movimento LGBTQIA+ português.
Queremos aproveitar a movimentação política e de consciência social que acontece durante a época das marchas para trazer alguns assuntos à tona, mas o nosso objetivo principal é que isto não pare por aqui. Queremos falar sobre mais assuntos relevantes, ajudar a dar voz às pessoas LGBTQIA+ e dar a conhecer as suas vivências.
Só foi possível organizar este ciclo de conversas devido a ajuda do Gato Vadio, que nos cedeu o espaço para a realização deste ciclo, e com a ajuda fundamental de pessoas, associações e coletivos. Por isso fica aqui o nosso agradecimento ao 
Gato Vadio, às pessoas que, em nome individual, aceitaram o nosso convite e às Actibistas - Coletivo Pela Visibilidade Bissexual, à Amplos Bring-out, ao Braga Fora do Armário, àAssociação Jano Portugal, ao PolyPortugal e à rede ex aequo.
Venham conversar connosco!

Sem comentários:

Enviar um comentário