13 a 17 de Maio - // CineItaliANOs50 // LeMondeDiplomatic // ClotildeRosa // MohanRana

Quinta, 14 de Maio, 21:30h  

Nas quintas de Maio GatoVadio apresenta...

cinema Italiano dos anos 50

FEDERICO FELLINI
I Vitelloni
Os Inúteis
(102m)
A história de cinco jovens sem ambições, perdidos e derrotados, agarrados a uma pequena cidade do Adriático...
(1953)

 Sexta-feira, 15 de Maio, 21:30h 
Todos os meses, numa Sexta, pelas 21:30h, depois da distribuição da
edição portuguesa do Le Monde Diplomatic..


Leituras em Flagrante
 
«O internacionalismo no tempo da Comuna», da autoria de Kristin Ross, publicado na edição de Maio de Le Monde Diplomatique, será o primeiro texto em debate no ciclo «Leituras em flagrante: debates à volta dos textos do "Le Monde Diplomatique" (edição portuguesa)», com a coordenação do sociólogo Bruno Monteiro

 

 Sábado, 16 de Maio, 17:00h  

C L O T I L D E * R O S A

[n.1930] é a compositora que se mostra  na 10ª sessão das
Conversas com Compositores Portugueses Contemporâneos
ISABEL SOVERAL, anterior convidada das sessões, será agora a intermediária deste encontro com uma das importantes figuras da cultura musical portuguesa contemporânea.

nas palavras de Clotilde Rosa:

— Iniciei o meu trabalho de composição com uma linguagem não serial, utilizando acordes não consonantes, fragmentos melódicos e clusters.
Fui seguindo com séries de doze sons, séries de harmónicos e outros materiais, empregando, embora sem rigidez, as técnicas do serialismo como meio de disciplina.
Criei três acordes de quatro sons perfazendo, também deste modo, o total dos doze sons, empregando-os frequentemente de forma a constituir uma harmonia que se tornou peculiar ao longo da minha produção.
Concebi pequenas células, muitas delas de apenas dois ou três sons que fui ramificando e aumentando em estilo imitativo.
Como motor de desenvolvimento estrutural utilizei quase sempre as técnicas seriais.
Muitas das minhas obras têm sido trabalhadas de forma contrapontística. Também tenho elaborado texturas, como um tecido musical, sobre o qual outros elementos vão aparecendo.
O minimalismo repetitivo está presente em algumas das minhas obras que têm fragmentos aleatórios.
Actualmente não obedeço a nenhum código estabelecido, utilizando de uma forma livre uma simbiose de todas as técnicas que usei anteriormente.

Consulte: Clotilde Rosa

 Sábado, 16 de Maio, 21:30h  

Mohan Rana 
Diálogos em torno da poesia hindi contemporânea

Leitura de poemas
com Mohan Rana, Genaro Delgado e Jorge Leandro Rosa

«Na nova geração de poetas em língua hindi, a poesia de Mohan Rana é singular, já que não cabe nas categorias usuais. Contudo, a sua recusa em integrar qualquer escola ou ideologia não significa que a sua poesia evite o pensamento: essa recusa quer antes dizer que Mohan Rana conhece a diferença entre o pensar em verso e o pensar sobre a poesia. Para ele, o processo poético é, em si mesmo, um processo de pensamento.»

Nandkishore Acharya

Mohan Rana é um poeta indiano, com vasta obra poética publicada em hindi. Este encontro é uma rara oportunidade para contactarmos uma cultura literária riquíssima e plurifacetada. Apesar de séculos de contactos com a Índia, Portugal desconhece inteiramente a vida cultural do subcontinente. A língua hindi, em particular, é uma das mais faladas do mundo. Derivada do sânscrito, ela tem vindo a adquirir um prestígio literário renovado na Índia de hoje. Os processos actuais da mundialização parecem ignorar a diversidade das culturas e das sensibilidades, o que significa que as tradições poéticas ainda vivas deverão retomar, por sua conta, os prazeres partilhados da diferença.

 Domingo, 17 de Maio 
Faça chuva ou faça sol, um óptimo lugar para passar a tarde
numa amena cavaqueira ou no aconchego de um livro.

Sem comentários:

Enviar um comentário