30 de maio a 2 de junho / Cinema Espanhol, Jantar Indiano, Manif, Assembleia E Que Farei Eu Com Esta Espada?

ATENÇÃO:
NOVO HORÁRIO DE PRIMAVERA
DE 5ª FEIRA A DOMINGO
DAS 17H ÀS 24H





Quinta, 30 de Maio
Aberto das 17:00 às 24:00h


Filme:  21:30h
 
CICLO DE CINEMA REVOLUCIONÁRIO ESPANHOL
A TORTILHA ÁKRATA

SALVADOR PUIG ANTICH
de Manuel Huerga, 2006.
(134')
No final da ditadura franquista, o grupo comunista-anarquista MIL dedica-se a assaltar bancos para continuar a financiar a luta da classe operária. Num desses assaltos a cena não acontece como se tinha planeado: a polícia aparece e no meio da luta um guarda civil morre. O jovem anarquista Salvador Puig Antich é acusado do assassinato e condenado à morte por um tribunal militar. Embora os esforços de amigos, familiares, partidos políticos, colectivos de direitos humanos e até o Vaticano, que tentaram demonstrar a sua inocência, tenham apontado a injustiça que se ía cometer e pediram o indulto, Puig Antich foi executado por garrote vil no dia 2 de março de 1974.



Sexta, 31 de Maio
 Aberto das 17:00 às 24:00h


Jantar:  20:30h


JANTAR INDIANO



Pela chef POOJINHA GOKALDAS 
 
Caril de batata, couve e ervilha 
Arroz basmatico
Salada 
 
Sobremesa: Mitti sew (aletria indiana)

PREÇO: 3,5 gatos

Inscrições abertas até ao dia 30 de Maio através
do telefone 965811062 ou marybacelar@gmail.com




 
 

Sábado, 01 de Junho
Aberto das 20:00 às 24:00h



Manifestação:   15:30h





O Gato vai à Manifestação Internacional
POVOS UNIDOS CONTRA A TROIKA
CORDOARIA - ALIADOS














Assembleia popular:   a partir das 21:00h


ASSEMBLEIA POPULAR
Depois da manifestação o Gato Vadio transforma-se em espaço de debate que é necessário como o pão para a boca!


DÍVIDA, QUE DÍVIDA?
UNIÃO EUROPEIA, QUE UNIÃO EUROPEIA?



CONTAMOS COM GRANDE PARTICIPAÇÃO!







 

Domingo, 02 de Junho
Aberto das 17:00 às 24:00h




Filme:  18:30h


QUE FAREI EU COM ESTA ESPADA?




de João César Monteiro 
1975
(65')
Inicia-se durante as manifestações operárias contra a presença de Portugal na NATO. O filme procura referir, pelo contraste, como é possível lutar com uma espada contra a poderosa esquadra americana. (João César Monteiro)
Que farei eu com esta espada?, ultrapassa o interesse datado, de cinema militante propagandista, para se tornar numa profunda e sarcástica reflexão sobre o povo português (que então entrava em democracia), sobre o poder, a autoridade e sobretudo sobre a dialética colonizador e colonizado, que ainda hoje se mantém viva!

23 a 26 de maio / Cinema Espanhol, Mulheres Traídas, Golpe D'asa, Moedas Sociais, Monsanto E The Abolition Of Work

ATENÇÃO:
NOVO HORÁRIO DE PRIMAVERA
DE 5ª FEIRA A DOMINGO
DAS 17H ÀS 24H





Quinta, 23 de Maio
Aberto das 17:00 às 24:00h


Filme:  21:30h
 
CICLO DE CINEMA REVOLUCIONÁRIO ESPANHOL
A TORTILHA ÁKRATA

LIBERTÁRIAS

de Vicente Aranda, 1996
(125')
Nos primeiros dias depois da sublevação militar encabeçada pelo general Franco contra a Segunda República Espanhola, uma freira foge do convento onde reside e no caminho conhece, por acaso, um grupo de milicianas anarquistas da organização libertaria feminista “Mujeres Libres”. Com elas viverá a luta contra os sublevados na zona do Ebro e aprenderá a importância da luta contra o patriarcado como parte fundamental da emancipação do ser humano.



Sexta, 24 de Maio
 Aberto das 17:00 às 24:00h


Filme:  21:30h

MULHERES TRAÍDAS  [Making Of]



de MIGUEL MARQUES
 
Documentário, 2007
Maria José Silva é uma figura ímpar da cultura portuguesa: realizadora, escritora, actriz e cantora, vive no Porto e faz cinema amador há mais de 20 "Mulheres Traídas" é o seu mais recente filme, uma história de infidelidades contada na voz feminina. Este documentário acompanha de perto a rodagem, reflectindo sobre como a realidade vai aliciando e conduzindo a criação da obra de ficção.
Na imprensa:
“O que escreve revela um universo de valores, pensamentos, fantasias e padrões afectivos muito reveladores, do meu ponto de vista, sobre os portugueses. Não deixa de ser preocupante! O filme aborda coisas que não são fáceis. Pode-se fazer um filme e chegar a uma certa realidade social. Acredito nisso.” Sérgio Tréfaut, diretor do Doclisboa in Expresso 13.10.2007
 





 

Sábado, 25 de Maio
Aberto das 17:00 às 24:00h



Apresentação:   17:00h






GOLPE D'ASA Nº2




A apresentação da revista Golpe d'asa 2 estará a cargo de Rui Lage, que irá trazer, sobretudo, a memória de Rui Costa, poeta homenageado neste 2.º número.









Palestra:   21:00h


MOEDAS SOCIAIS E COMPLEMENTARES COMO FERRAMENTA PARA A NOSSA SOBERANIA 


Com Miguel Yasuyuki Hirota

Estão a emergIr cada vez mais iniciativas de moeda social e complementar, sistemas em que os sócios fazem trocas de bens e serviços sem a intermediação do dinheiro oficial (euro, libra esterlina, dólar americano, etc.) como resposta por parte da sociedade civil frente a misérias, injustiças e/ou outros fenómenos adversos ao nosso bem-estar.  Começarei esta palestra por explicar a insustentabilidade do nosso sistema monetário, seguida pela apresentação de algumas experiências relevantes das moedas sociais no mundo...











 

Domingo, 26 de Maio
Aberto das 17:00 às 24:00h




Filme:  18:00h


O MUNDO SEGUNDO A MONSANTO



de Marie-Monique Robin
2007
(109')
A multinacional Monsanto produz 90% dos transgénicos plantados no mundo e tem uma posição dominante no mercado global de sementes. Resultado de um trabalho de três anos de investigação da jornalista francesa Marie-Monique Robin, o livro Le Monde Selon Monsanto (O Mundo Segundo a Monsanto) e o documentário homónimo são um libelo contra os produtos e o lobby daquela multinacional.
O trabalho denuncia as acções da Monsanto para divulgar estudos científicos duvidosos de apoio às suas pesquisas e produtos, a exemplo do que fez durante muitos anos a indústria do tabaco, e relaciona a expansão dos grãos de sementes da Monsanto com os suicídios de agricultores na Índia, não se esquecendo de trazer à memória os casos de contaminação pelo produto químico PCB .
Refere-se ainda as relações políticas da empresa que permitiram a libertação do plantio de transgénicos nos Estados Unidos.
Em 2007, havia mais de 100 milhões de hectares plantados com sementes geneticamente modificadas, metade nos EUA e o restante em países emergentes como a Argentina, a China e o Brasil.
No filme fala-se por exemplo de histórias como esta:
Com o plantio de sementes patenteadas pela Monsanto, o pólen destas "contamina" outras variedades existentes na região, que passam a produzir sementes com as características das da Monsanto. Esta então PROCESSA os produtores vizinhos e EXIGE legalmente destes o pagamento de royalties à empresa, POR ESTAREM PRODUZINDO sementes que são patentes dela.





LIVRO DA SEMANA


THE ABOLITION OF WORK



A ABOLIÇÃO DO TRABALHO
Parte 1
Desenhos de BRUNO BORGES a partir do texto original de BOB BLACK.

"No one should ever work.
Work is the source of nearly all the misery in the world. Almost any evil you’d care to name comes from working or from living in a world designed for work. In order to stop suffering, we have to stop working. That doesn’t mean we have to stop doing things. It does mean creating a new way of life based on play; in other words, a ludic revolution." ...


Uma edição OFICINA ARARA & JORNAL BURACO
Serigrafia, 2 cores, 24 páginas.


16 a 19 de maio / Cinema Espanhol, Grandes Esperanças, Selecta Informal, Índios da Meia-praia

ATENÇÃO:
NOVO HORÁRIO DE PRIMAVERA
DE 5ª FEIRA A DOMINGO
DAS 17H ÀS 24H





Quinta, 16 de Maio
Aberto das 17:00 às 24:00h


Filme:  21:30h
 
CICLO DE CINEMA REVOLUCIONÁRIO ESPANHOL
A TORTILHA ÁKRATA



LIBERTÁRIAS

de Vicente Aranda, 1996
(125')
Nos primeiros dias depois da sublevação militar encabeçada pelo general Franco contra a Segunda República Espanhola, uma freira foge do convento onde reside e no caminho conhece, por acaso, um grupo de milicianas anarquistas da organização libertaria feminista “Mujeres Libres”. Com elas viverá a luta contra os sublevados na zona do Ebro e aprenderá a importância da luta contra o patriarcado como parte fundamental da emancipação do ser humano.



Sexta, 17 de Maio
 Aberto das 17:00 às 24:00h


Filme:  21:30h

GRANDES ESPERANÇAS



de MIGUEL MARQUES
 
Documentário, 74’, 2006
Entrar nos meandros da burocracia é uma aventura q.b. cómica.
Grandes Esperanças dá-nos uma visão de conjunto e quase trágica dos processos de legitimação do indivíduo perante o Estado, mostrando como toda a nossa existência depende, do nascimento à morte, da Instituição que organiza a vida em sociedade e que aqui aparece na sua dimensão abstracta e coerciva.
E só lhe vemos a ponta do icebergue.
 
http://www.youtube.com/watch?v=lqJmGW7qNAw




 

Sábado, 18 de Maio
Aberto das 17:00 às 24:00h



Leituras:   17:00h






SELECTA INFORMAL












 

Domingo, 19 de Maio
Aberto das 17:00 às 24:00h




Filme:  21:30h


OS ÍNDIOS DA MEIA PRAIA



ANTÓNIO DA CUNHA TELLES
1976
(110')
A Meia-Praia é uma comunidade piscatória do Algarve nas imediações de Lagos. Depois da Revolução dos Cravos, nos dois anos que se seguiram, vive-se nesse local uma experiência exemplar : como o apoio do SAAL ( Serviço de Apoio Ambulatório) as velhas casas são substituídas por habitações de pedra e os habitantes lançam-se no projecto de uma cooperativa de pesca. Surgem dúvidas e contradições em consequência do desgaste que um projecto de tal empenho implica.

9 a 12 de maio - Cinema Espanhol, Bahia Praça Poesia, Alforria Blues, Flores Silvestres, Assembleia Geral e a Lei Da Terra

ATENÇÃO:
NOVO HORÁRIO DE PRIMAVERA
DE 5ª FEIRA A DOMINGO
DAS 17H ÀS 24H





Quinta, 09 de Maio
Aberto das 17:00 às 24:00h


Filme:  21:30h
 
CICLO DE CINEMA REVOLUCIONÁRIO ESPANHOL
A TORTILHA ÁKRATA


TIERRA Y LIBERTAD
 
de Ken Loach, 1995. (110')
O desejo de defender a liberdade impulsionou pessoas de diferentes nacionalidades a desembarcarem em Espanha no período de 1936-1937. Tendo como pano de fundo a Revolução Espanhola, Tierra y Libertad conta a história de um jovem desempregado comunista, David, que deixa a sua cidade natal, Liverpool, para se juntar à luta contra o fascismo. Na sua vivência durante a guerra, e depois de várias reviravoltas, vai tomando cada vez mais consciência de que a ganância pelo poder e pela propriedade são inimigos de uma vivência pacífica e justa neste mundo.





Sexta, 10 de Maio
 Aberto das 17:00 às 24:00h


Filme:  21:30h

BAHIA, PRAÇA DA POESIA

de LUÍS COSTA
 

(18 min., DV)
 
Filme documental rodado na cidade de  S. Salvador, Brasil.
É composto por três discursos poéticos registados na rua e de improviso,
por esta ordem: O Poeta Rafael; A Praça é do Povo; Bule Bule da Bahia.
A sessão conta com a presença do autor.
 


 

Sábado, 11 de Maio
Aberto das 17:00 às 24:00h



Lançamento livro:   17:00h


ALFORRIA BLUES
OU
POEMAS DO DESTINO DO MAR

DE JÚLIA DE CARVALHO HANSEN


Em “alforria blues ou Poemas do Destino do Mar” existem dois juntos em um, o que prova ser um livro sobre a biodiversidade. O de letras capitulares é um cavalo que querendo ter mãos para construir uma ânfora, foi tão devassado pelo dom de tê-las, que se transformou em um pássaro, que se transformou em açúcar: a primeira droga que experimentamos. Gasto açúcar, tua pele perdida feito cobra trocada na sombra da copa de uma árvore carregada: “alforria blues” é porque deve haver um jeito mais fácil de comer romã. Mas não se entretenha muito com o que diverge, os dois se acompanham, e quando um diz que tudo está em aberto, o outro responde: sim, está aberto e entre nós.








Apresentação livro:   21:00h


FLORES SILVESTRES,
UMA ANTOLOGIA DE
ABELE RIZIERI FERRARI














 

Domingo, 12 de Maio
Aberto das 17:00 às 24:00h



Assembleia Geral:   17:00h


Convocam-se todos os associados da Associação Saco de Gatos para uma Assembleia Geral Ordinária, a realizar no próximo dia 12 de Maio, pelas 17 horas, nas instalações da dita associação, na Rua do Rosário, 281, 4050 PORTO.





Filme:  21:30h


A LEI DA TERRA



GRUPO ZERO
1977
64 min.

O processo da reforma agrária no Alentejo é visto através de uma análise das estrutura sociais e da luta de classes, culminando com a ocupação de terras pelos camponeses e pela tentativa de criação de novas relações laborais e de propriedade.
Face à sabotagem económica dos patrões e antigos proprietários, os trabalhadores organizam-se em sindicatos, reclamam emprego e salários justos. Procuram estabelecer uma lei revolucionária: «A terra a quem a trabalha!». Organizam-se em cooperativas e unidades colectivas de produção.
Reagem os agrários expropriados, apoiando-se nos intermediários, nos agricultores do Norte e nos seareiros do Sul.











A Associação Saco de Gatos agradece que não seja publicitada a sua programação (reservada aos seus associados e convidados) nos meios de comunicação social.