30 de maio a 2 de junho / Cinema Espanhol, Jantar Indiano, Manif, Assembleia E Que Farei Eu Com Esta Espada?

ATENÇÃO:
NOVO HORÁRIO DE PRIMAVERA
DE 5ª FEIRA A DOMINGO
DAS 17H ÀS 24H





Quinta, 30 de Maio
Aberto das 17:00 às 24:00h


Filme:  21:30h
 
CICLO DE CINEMA REVOLUCIONÁRIO ESPANHOL
A TORTILHA ÁKRATA

SALVADOR PUIG ANTICH
de Manuel Huerga, 2006.
(134')
No final da ditadura franquista, o grupo comunista-anarquista MIL dedica-se a assaltar bancos para continuar a financiar a luta da classe operária. Num desses assaltos a cena não acontece como se tinha planeado: a polícia aparece e no meio da luta um guarda civil morre. O jovem anarquista Salvador Puig Antich é acusado do assassinato e condenado à morte por um tribunal militar. Embora os esforços de amigos, familiares, partidos políticos, colectivos de direitos humanos e até o Vaticano, que tentaram demonstrar a sua inocência, tenham apontado a injustiça que se ía cometer e pediram o indulto, Puig Antich foi executado por garrote vil no dia 2 de março de 1974.



Sexta, 31 de Maio
 Aberto das 17:00 às 24:00h


Jantar:  20:30h


JANTAR INDIANO



Pela chef POOJINHA GOKALDAS 
 
Caril de batata, couve e ervilha 
Arroz basmatico
Salada 
 
Sobremesa: Mitti sew (aletria indiana)

PREÇO: 3,5 gatos

Inscrições abertas até ao dia 30 de Maio através
do telefone 965811062 ou marybacelar@gmail.com




 
 

Sábado, 01 de Junho
Aberto das 20:00 às 24:00h



Manifestação:   15:30h





O Gato vai à Manifestação Internacional
POVOS UNIDOS CONTRA A TROIKA
CORDOARIA - ALIADOS














Assembleia popular:   a partir das 21:00h


ASSEMBLEIA POPULAR
Depois da manifestação o Gato Vadio transforma-se em espaço de debate que é necessário como o pão para a boca!


DÍVIDA, QUE DÍVIDA?
UNIÃO EUROPEIA, QUE UNIÃO EUROPEIA?



CONTAMOS COM GRANDE PARTICIPAÇÃO!







 

Domingo, 02 de Junho
Aberto das 17:00 às 24:00h




Filme:  18:30h


QUE FAREI EU COM ESTA ESPADA?




de João César Monteiro 
1975
(65')
Inicia-se durante as manifestações operárias contra a presença de Portugal na NATO. O filme procura referir, pelo contraste, como é possível lutar com uma espada contra a poderosa esquadra americana. (João César Monteiro)
Que farei eu com esta espada?, ultrapassa o interesse datado, de cinema militante propagandista, para se tornar numa profunda e sarcástica reflexão sobre o povo português (que então entrava em democracia), sobre o poder, a autoridade e sobretudo sobre a dialética colonizador e colonizado, que ainda hoje se mantém viva!

Sem comentários:

Enviar um comentário