25 a 28 de Outubro / Marcuse + D.Flagra #4 / Dj Mutante & Magusto

 

Sexta, 26 de Outubro22:00 H

1* Sessão de: "Um livro por mês"
O Homem Unidimensional, de Herbert Marcuse
O Homem Unidimensional, de Herbert Marcuse, é o livro do mês de Outubro na Livraria-bar Gato Vadio, e será sobre este livro que versará a conversa/debate a realizar na próxima sexta-feira, dia 26 de Outubro, às 22h.
 
Herbert Marcuse é o filósofo por excelência da contra-cultura e uma das mais destacadas figuras da
 
chamada Escola de Frankfurt. Mais do que ninguém, Marcuse denunciou a criação do homem unidimensional, ou seja, um indivíduo conformista, consumista e acrítico, que se sente feliz só porque os mass media lhe dizem que ele é feliz.
 
O Homem Unidimensional é uma obra densa que teve um importante impacto no pensamento, e nos movimentos sociais, das décadas de 60 e 70 analisando os dispositivos alienantes e de controle social das sociedades do capitalismo tardio.
 
"One-dimensional thought is systematically promoted by the makers of politics and their purveyors of mass information. Their universe of discourse is populated by self-validating hypotheses which, incessantly and monopolistically repeated, become hyponotic definitions of dictations." 
H. Marcuse
Large Image
Nota: O Homem Unidimensional, de Herber Marcuse, foi recentemente editado em português pela editora Letra Livre

Sábado, 20 de Outubropelas 21:30 H

Lançamento do ultimo numero do fanzine D.flagra 


+
D.J. Mutante:
Set mundo Mestiço
sandalias
+
Magusto Vadio
Magosto
 

 



 

17 a 21 de Outubro / Leituras: John Cage + COMO SE CONTAM HISTÓRIAS TRANS

 

Sábado, 20 deOutubro, pelas 17:00

Sessão inagural do 2º Cico de Leituras do Gato Vadio:  
Sessão com Rui Manuel Amaral e Pedro Junqueira Maia dedicada à obra literária de John Cage (textos traduzidos por Cristina Fernandes).

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=rwHga2TM_YE






O Colectivo GATA (Grupo de Activismo e Transformação pela Arte) visita este fim de semana o Gato Vadio  com a seguinte proposta:

gatAAA

COMO SE CONTAM HISTÓRIAS TRANS:

Existe uma regra que diz que a anatomia de uma pessoa nos indica se é mulher ou homem. Às pessoas a quem esta regra não se aplica, tem-se chamado Trans. É Trans um conjunto de pessoas distintas entre si, com necessidades e motivações muito diferentes. Não obstante tal diversidade, alguns dos desafios e problemas que encontram quotidianamente são os mesmos.

Sempre foi importante que existissem espaços Trans no Porto. Depois da morte de Gisberta, em 2006, tornou-se ainda mais urgente. E desde então, não cessam de somar-se motivos, tantos quantas as expressões de transfobia, para que estes espaços ganhem vida. Por isto, o GATA leva ao Gato Vadio, de 19 a 21 de Outubro, um programa de eventos centrado na Transexualidade e no Transgénero.



Sexta, 19 de Outubro

21h30 | Filme
DZI CROQUETTES (2009), de Tatiana Issa e Raphael Alvarez.



O documentário traça o percurso dos actores e bailarinos do colectivo Dzi Croquettes, tornado símbolo da contracultura ao usar de ironia, inteligência e sensualidade para confrontar a ditadura militar brasileira, nos anos 1970. De barba e salto alto, romperam convenções artísticas e sociais, uniram vanguardas musicais do Brasil e dos Estados Unidos, e tornaram-se uma importante referência no Teatro brasileiro.

23h30 | DJ set

DJ Pau pretende embarcar numa viagem que começa pelos anos 90 até aos dias de hoje, criando ambientes ora calmos, ora divertidos e dançantes.
Música e atitude desafiadoras da norma, tentando criar um ambiente de liberdade e despudor!


Sábado, 20 de Outubro

22h00 | Tertúlia
COMO SE CONTAM HISTÓRIAS TRANS, com Luísa Reis, Irene Carvalho, Nuno Miguel Ropio e Zélia Figueiredo.



"What is inconceivable is conceived again and again, through narrative means, but something remains outside the narrative, a resistant moment that signals a persisting inconceivability."
(Judith Butler - Undoing Gender)

A algumas pessoas não servem as histórias convencionais sobre mulheres e homens. Porque essas histórias não falam dos seus corpos nem das suas formas de amar, não contam os caminhos que descobriram, não sabem a sua língua e a sua alegria. Contudo, estas pessoas não deixam de ter histórias, contadas por vozes diversas - vozes próprias e próximas, umas que partilham e outras que discordam, e outras que magoam, e outras que prendem.
O GATA propõe uma tertúlia para essas histórias do (Trans)sexo e do (Trans)género com tudo o que há na vida e não tem género nem sexo. E para as palavras de uma língua nova.


LUÍSA REIS, activista LGBT, modera uma conversa aberta, com a participação de:
* IRENE CARVALHO, investigadora sobre identidade de género e Transexualidade.
* NUNO MIGUEL ROPIO é jornalista, premiado pela cobertura de temas de interesse para as pessoas Trans.
* ZÉLIA FIGUEIREDO, responsável pelo apoio em processos clínicos de transição de género, no contexto de consulta psiquiátrica de sexologia.





Domingo, 21 de Outubro

21h30 | Filme
ROMEOS (2011), de Sabine Bernardi.




Lukas tem 20 anos. Entrou na montanha-russa da puberdade masculina através da toma de hormonas, e agora encontra novos desafios na grande cidade, na partilha de um dormitório com raparigas, na paixão que surge. Ele quer dar vazão aos seus desejos, mas se o corpo trair o seu segredo, Lukas pode perder a nova vida.


 
Sobre o GATAg4t4.wordpress.com

04 a 07 de Outubro / A POLIFONIA DO CINEMA MUDO III


Ciclo: "A Polifonia do cinema mudo" (II)

Três fins de semana de filmes mudos com música ao vivo, narradores e bandas sonoras.
Uma experiência. Uma surpresa. Histórias do cinema e filmes sonoros inspirados no cinema
mudo.
 

A Polifonia Do Cinema Mudo

www.apolifoniadocinemamudo.co.cc

Sexta, 05 de Outubro, 21:30 h

 filme: "La dialectique peut-elle casser des briques?" (Pode a dialética quebrar tijolos?)
 

René Viénet (França, 1973) 

  
Trata-se de uma produção situacionista francesa, datada de 1973, realizada por René Vienet, na qual o filme de ‘kung fu’ chinês “Tang Shou Tai Quan Dao” (1972, de Tu Kuang-chi) é redublado e transformado numa peça de propaganda, em que os inimigos dos lutadores de artes marciais são burocratas acostumados a cortar braços de pessoas durante a Guerra Civil Espanhola ou nas ruas de Praga, na década de 1950. Tais burocratas, possuem teorias lacanianas e foucaultianas como sustentáculos para suas maldades e perseguem os leitores de Wilhelm Reich ou do Marquês de Sade e os demais proletários do mundo apenas por crerem que o Sistema Capitalista é uma força maior que todos nós, seres humanos, tendo no Estado e na Igreja seus dois braços mais poderosos.
 
 

 
Sábado, 06 de Outubro, 21:30 h

Cinema-Concerto:


Documentarios antigos e actuais com bandas sonoras ao vivo.