27 jun. a 1 de jul. / Mayakovsky + Sardinhada Vadia + leituras Antonio Pina + Conversa Gata



4ª, 27 de Junho, 21:30 H

Curso livre de poesía Russa (SÉC XX)- 5ª Sessão

VLADIMIR MAYAKOVSKY
 




Sexta, 29 de Junho a partir das 20:00

"Jantar Vadío

   sardinhada 2 b

Sábado, 30 de Junho, pelas 17:00

Ùltima sessão:
Sousa Dias e Rui Manuel Amaral lêem textos de Manuel António Pina 
Última sessão do 1.º ciclo de leituras do Gato Vadio, iniciado em Outubro de 2011, e que incluiu nas sessões anteriores os autores Oliverio Girondo (lido por Carolina Lapa, António Pedro Pombo, Nuno Corvacho, Rui Loureiro, António Pedro Ribeiro, Isabel Rocha, Ana Ribeiro e Sandra Rolão),Daniil Harms (lido por Miguel Gouveia), Robert Walser (lido por Cristina Fernandes), Russell Edson (lido por Jorge Palinhos),Max Aub (lido por Osvaldo Manuel Silvestre), Franz Kafka (lido por Luís Graça Nobre), Augusto Monterroso (lido por Rui Lage) e Julio Cortazar (lido por Javier Garcia).Este 1.º ciclo de leituras encerra com a prea de um dos maiores autores portugueses do nosso tempo, Manuel António Pina, lido e apresentado por Sousa Dias

pina


Domingo, 1 de Julho as 17:00

GATA- Conversa:
"Marchar e Andar: Contra os Estereótipos de Género"






 


21 jun. Peregrinação às Fontes+ 22 jun. Asturias+ 23 jun. S. João (Fontinha)+ 24 jun. Bela Damião



5ª, 21 de Junho, 21:30 H
Apresentação do livro "Peregrinação as fontes"
de Lanza del Vasto




Debater um clássico da não violência, um dos mais destacados seguidores de Gandhi no Ocidente, é o objetivo da sessão para o qual o convidam as Edições Sempre-em-Pé e o Gato Vadio/Saco de Gatos.

O livro Peregrinação às Fontes, de Lanza del Vasto, será apresentado pelo editor, José Carlos Costa Marques.
Peregrinação às Fontes é o livro chave de Lanza del Vasto. Lanza nasceu em 1901, na Itália do sul, de mãe belga e pai siciliano. Fez estudos clássicos em Paris e de filosofia em Pisa, enquanto se ia dedicando também à arte da poesia, da pintura e da música. Em 1936 partiu para a Índia, na viagem que ele narra neste livro. O ponto culminante dessa viagem foi o encontro com Gandhi. Nele vê aquele que pode trazer uma solução aos problemas dos homens, que abre os caminhos da paz pela não violência e que propõe uma resposta aos excessos e desordens da civilização moderna.
De regresso à Europa, não esqueceu nunca a inspiração e a vocação que descobriu nesse encontro, procurando dar expressão concreta na França e na Europa ao ideal e ao método da não violência, seguindo Gandhi em quem reconheceu o exemplo de libertador de um povo que soube conquistar a liberdade pela desobediência civil.
Sobre o Autor
Lanza del Vasto é um dos mais notáveis seguidores de Gandhi no Ocidente. A comunidade que fundou, A Arca (L'Arche) continua hoje a difundir o seu pensamento e a agir no rumo que ele traçou. Lanza del Vasto proferiu conferências em Portugal em Abril de 1978 em Lisboa, Porto, Coimbra e Évora, tendo voltado ao nosso país em 1979. A elas assistiram muitas centenas de pessoas. 
Segundo os que o acompanharam, Lanza teve um grande impacto em quem o ouviu, pelo seu profundo humanismo, pelo idealismo aliado a um grande realismo, pela vontade firme e lúcida que ele tinha de concretizar os sonhos, pela sua atenção aos pormenores. Na base do pensamento que transmitia, encontrava-se o conceito hindu e gandhiano de satyagraha, de força da verdade e de adesão à verdade.
Sexta, 22 de Junho às 22h00
"Asturias, la última revolución obrera" 
Documentario: "Asturias, la última revolución obrera"
 
 +
Filme: " Pidele cuentas  al rey"



Sábado, 23 de Junho 

S. João!



Domingo, 24 de Junho as 18:30

Jazz: 
Bella Damião

17 de Junho, Festa na Baixa 2010 em No Piolho de

 


Conversa com A. M. Bonanno (18 Jun 2012, 19:00)



2ª, 18 de Junho, 19:00 H

Conversa com A. M. Bonanno


http://www.pt.indymedia.org/sites/pt.indymedia.org/files/imagens/newswire/bonanno3.jpg


 


qui- 14 jun: Tachos, Panelas e Outras Soluções + 16 jun. - Leituras de Júlio Cortazar + Jantar Vadío + 10 jun. Capoeira:Cordão de Ouro + Saudade: Leitura encenada


Newsletter #37 (de13 a 17 Junho) Documental:Tachos, Panelas e Outras Soluções + Leituras de Júlio Cortazar + Jantar Vadío + Capoeira:Cordão de Ouro + Saudade: Leitura encenada

5ª, 14 de Junho, 22:00 H
Documentario: Tachos Panelas e Outras Soluções

Realização: Miguel Marques

Montagem
Miguel Marques
Yolanda Rienderhoff

Musica
Bruno Carreira
LIGHTS ON(E)

Duração: 65'

Sinopse:
Na Islândia, o primeiro país europeu a acordar num crash económico, as pessoas ganharam a consciência de que podiam e deviam intervir na sociedade, e começaram a exigir mais participação democrática.
Referendou-se o pagamento das dívidas dos bancos pelos cidadãos.
O governo foi obrigado a eleger e financiar um Conselho para elaborar uma nova constituição: é um grupo de cidadãos -- sem políticos, advogados ou professores universitários abriram o processo à participação de todos os interessados e conseguiram aprovar por consenso a proposta de um novo texto.


https://mail-attachment.googleusercontent.com/attachment/u/0/?ui=2&ik=dcc2989fe5&view=att&th=137ddf2ea0bcf43b&attid=0.1&disp=inline&realattid=f_h31pk2it1&safe=1&zw&saduie=AG9B_P-AcV3-Ee3LCqLCol8Xp9po&sadet=1339587013153&sads=ZPP8iHBvPAHZcdeCsycYhst6i18

Sábado, 16 de Junho às 22h00

Javier García e Rui Amaral lêem Julio Cortazar  

 


Sábado, 16 de Junho a partir das 20.30

Jantar Vadío

 


Domingo, 10 de Junho as 17:00

Tarde de Capoeira:  
" Cordão de ouro" 1976, Antonio Carlos Fontoura

Domingo, 10 de Junho as 22:00

SAUDADE, um anti-espetáculo de Leo Lama
Com Érika Oliveira e Késia dos Anjos

(8,9 e 10 de Junho) Sinais de Vida (Lebenszeichen) 1968 W. Herzog + Z 1969 Costa-Gavras+SOUZZAfONE BLUES


Sábado, 09 de Junho às 22h00

"Sinais de vida" Werner Herzog (1968)




Durante a Segunda Guerra, três soldados alemães são retirados de combate quando um deles, Stroszek, é ferido. São enviados para uma pequena comunidade costeira na ilha grega de Kos enquanto Stroszek recupera. Os homens vão enlouquecendo na sua nova e rotineira missão. Stroszek acaba por endoidecer.
Primeira longa-metragem de Herzog, é um marco do Cinema Novo alemão, realizado a partir dos pressupostos do Manifesto de Oberhausen.
O tema fundamental de praticamente todos os filmes de Herzog aparece de forma clara aqui: incapazes de compreender ou de suportar os padrões sociais e os códigos de convivência, os personagens herzogianos engrandecem-se na luta contra estes limites impostos e os limites naturais, atingindo assim algo indefinido entre a transcendência, a genialidade e a loucura. Loucura apenas para a nossa visão reconciliada com o mundo.


Sábado, 09 de Junho às 22h00

"Z"Costa-Gavras (1969)


 



O filme se inicia com a advertência nos créditos iniciais de Costa-Gavras e Jorge Semprún  que qualquer semelhança com eventos e pessoas da vida real não é coincidência - é intencional.
 Suspense político, trata de fatos reais ocorridos em 1963 na Grecia. Em cenário político tenso, professor de medicina e deputado grego, um dos líderes da oposição esquerdista, organiza juntamente com correligionários Shoula, Matt e Manuel e o deputado George Pirou, uma reunião pela paz e contra a permissão de instalação de misseis balísticos americanos em território grego. Com dificuldades, a reunião é realizada mas ao concluir sua fala, o deputado é atropelado e acaba morrendo dias depois. A polícia conclui que foi um acidente mas há indícios que levam o juiz de instrução a suspeitar da versão da polícia e aprofunda a investigação. Com ajuda indireta de um fotojornalista, e testemunhas como Nick, ele consegue revelar uma trama de membros do governo grego, como o general de polícia, o coronel da polícia, outros militares e Yago e Vago, os autores do crime. São todos indiciados mas as testemunhas morrem em circunstâncias estranhas e os envolvidos são condenados a penas leves. Pouco tempo depois os militares lançam um golpe militarr. O novo regime persegue os aliados do deputado morto, o fotojornalista e o juiz de instrução. Proíbem comportamentos e assuntos como a matemática moderna, liberdade de expressão, e a letra Z, em grego antigo significa "ele está vivo"

 

Domingo, 10 de Junho as 18h30

SOUZZAfONE BLUES 
 " Blues! But not that kind of blues"