...

Vadias e vadios,

A noite continua escura…

Depois de lhes roubarem a infância, um dia vão cortar 5% das crianças pobres.


À Flor da Pele, de Catarina Mourão

Documentário seguido de tertúlia Pobres crianças pobres

Domingo, 3 de Outubro, 21h15

Gato Vadio

Entrada Livre (com um aumento de 5% na liberdade em nome do interesse nacional)

Org. Agir XXI + Gato Vadio




À Flor da Pele, de Catarina Mourão

Prémio Melhor Filme da Competição Internacional do Fórum de Documentário de Belo Horizonte, Brasil, Dezembro 2006

Sinopse:

Véspera do Europeu de futebol. A ansiedade. O desassossego. Emoções à flor da pele. Num bairro pobre do Porto, tal como em todo o país, um grupo de crianças come, respira e dorme futebol. Enquanto aguardam, com os pais fora de casa, os seus dias são preenchidos pela liberdade da criação das suas próprias regras e na invenção de novos jogos, jogos de poder, emulados dos modelos em casa. O Europeu começa e com ele os rituais: as televisões são colocadas na rua e os jogos são seguidos, com euforia. As vitórias e as derrotas da selecção Portuguesa são festejadas ou choradas por todos. Mas, à margem de todo este burburinho, um dos miúdos não partilha deste interesse pelo futebol e refugia-se num mundo onírico.


"O Campeonato Europeu de Futebol estava a decorrer. Todos os olhos estavam postos em cima dos estádios, jogadores e desafios. Decidi desviar ligeiramente o meu olhar, e perceber o que se estava a passar ao lado dos estádios, fora das televisões: rapazes e raparigas a crescer, a lutar, crianças a parecerem adultos, adultos a comportarem-se como crianças, um país mergulhado na recessão e apatia à espera da vitória da selecção Portuguesa para aconchegar o ego… mas no fim nada mudou e a vida continuou…” Catarina Mourão.

Sem comentários:

Enviar um comentário