“Registam a febre e o coração.

Neste fim de Março em que

não vejo árvores de fruto,

chegam-me as novas da minha

nespereira, pejada, dizem-me.

À espera, como o meu sangue,

de que a vida seja uma protecção

adocicada, carnuda e macia,

pronta a colher.”

XX DIAS

de Rui Miguel Ribeiro



XX DIAS (Averno)

Rui Miguel Ribeiro

Apresentação e leitura de poemas pelo autor

Sábado, 14 de Novembro, 18h

Gato Vadio


Sem comentários:

Enviar um comentário