Autobiographie Mutuelles, projecto sem fim

Chegou ao fim o projecto Autobiographie Mutuelles, com a 4ª e última edição apresentada no domingo passado na Gato Vadio. Pela boca de um dos autores, Alberto Pimenta, soubemos que as Mutuelles são um género literário abandonado, o género “bíblico”. Não se apoquentem, pois Alberto Pimenta e César Figueiredo têm pouco de santos e, que se saiba, nunca foram abençoados pelos “Papados”. Bíblico, no sentido literal do termo: um livro feito de livros; um livro contendo vários livros.




(nº4 da Autobiographie Mutuelles)



A ideia literária parte dos contos mitológicos orientais das Mil e Uma Noites, inspirando-se nas tradições hindu, persa, siríaca, egípcia e turca. Como pano de fundo do balanço poético, viaja-se no tempo e no espaço para as paisagens desérticas a Ocidente. A ideia conceptual parte da vontade dos autores se aproximaram de uma execução “artesanal”, continuada e nunca perdendo contacto com os vários estágios da criação, escapando dessa forma à máquina dilu(e)viana produtora de outros géneros bíblicos.

Mas nada é sagrado e os biblioclastas saberão tratá-lo a preceito, dando continuidade, como Sherazade, ao projecto biographic incompleto de Alberto Pimenta e César Figueiredo.

A 3ª e 4ª edição ainda estão disponíveis para compra na Gato Vadio.

Os leitores que têm as 4 edições receberão um caixa-cinta oferecida pelos autores.



Sem comentários:

Enviar um comentário